Juventude

REFORMA ENSINO MÉDIO

Centro Acadêmico da Educaçao USP convoca alunos a lutarem contra a reforma do ensino medio

Nota de repúdio do Centro Acadêmico Professor Paulo Freire, da Faculdade de Educação da USP, à reforma do ensino médio proposta pelo governo golpista de Temer.

sexta-feira 23 de setembro| Edição do dia

Foi apresentado pelo governo golpista de Temer uma Medida Provisória (MP) acerca da reforma do Ensino Médio. De acordo com o discurso feito pelo Ministro da Educação Mendonça Filho, a proposta é acabar com o currículo comum para o Ensino Médio. Mantendo apenas Português e Matemática como disciplinas gerais, e disciplinas como Sociologia, Filosofia, Artes e Educação Física deixariam de ser obrigatórias, ficando a “critério das redes de ensino”. Essa proposta em si já seria um grande ataque pois milhares de alunos teriam uma formação incompleta, apenas com o básico voltado para ser mão de obra no mercado de trabalho, além disso acarretaria na demissão de dezenas de milhares de docentes.

A implementação do projeto aconteceria no início de 2018 e a reformulação se daria em cima de 5 “áreas de concentração" a partir do segundo ano: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional. Como não existe a proposta de que seja obrigatório o oferecimento dessas áreas em todas as unidades escolares, e mantendo-se o objetivo de cortar gastos, isso aponta para fechamento de escolas, remanejando os alunos para regiões distantes, levando a evasão escolar e um aprofundamento da divisão na categoria de professores e entre os próprios estudantes.

A MP visa reduzir a formação básica para 1 ano e meio, e propõe uma carga de 7 horas de aulas diárias. Também está colocada a possibilidade de se lecionar sem ter tido a formação adequada para isso, mais uma medida que visa rebaixar os salários da categoria e precarizar a qualidade do ensino ofertado. Como se não bastasse todos esses ataques anunciam também a entrada de empresas nas redes públicas de ensino.

Enquanto estudantes de uma das maiores faculdades de educação do país, nós repudiamos veementemente essa proposta do governo golpista que visa formar alunos cada vez mais voltados para o mercado de trabalho, precarizando toda educação pública e a carreira dos professores, abrindo caminho para empresas privadas e atacando um dos direitos fundamentais de qualquer pessoa, o direito a educação. Fazemos um chamado a todos os estudantes para construirmos uma forte luta contra essa reforma educacional do golpista Temer e todos os ataques a educação.

CAPPF - Gestão DA LAMA AO CAOS - 2016




Tópicos relacionados

Juventude

Comentários

Comentar