Política

ELEIÇÕES 2016 RIO

Centenas vão a comício de Freixo em Madureira, Zona Norte

Acompanhado por sua vice, Luciana Boiteux, Marcelo Freixo, candidato do PSOL que disputa o segundo turno da eleição à prefeitura do Rio de Janeiro contra Marcelo Crivella (PRB), compareceu a comício na praça Paulo Portela, no bairro de Madureira, zona norte da cidade. Centenas compareceram.

quinta-feira 13 de outubro| Edição do dia

FOTO: Marcelo Carnaval / Agência O Globo

Em uma fala de cerca de meia hora, Freixo foi muito ovacionado pelos milhares de participantes do comício de Madureira. Ele ressaltou diversas vezes a forma como Crivella tem desmarcado sua participação em todos os principais debates do segundo turno, evitando o confronto de ideias com o candidato do PSOL como forma de tentar manter sua lideranças na disputa.

Ironizando as declarações de Crivella afirmando que ele tem "cara de bravo", Freixo disse: "Então eu falo de forma bem suave: Crivella, vem pro debate. Tranquilo, suave: vem pro debate Crivella, vem pro debate." Ainda sobre esse tema, ridicularizou a justificativa da Rede Record, de propriedade do bispo Edir Macedo, tio de Crivella, para o cancelamento do debate que estava marcado na emissora.

A Record disse que, devido a uma mudança no estúdio, teria que cancelar o evento. Freixo comentou "É tão fácil eu acreditar nisso como acreditar que o Garotinho não vai querer nenhum cargo no governo do Crivella. (...) Mas eu quero avisar a Rede Record que se o problema é instalação, a gente faz o debate aqui. (...) o palco tá pronto, a praça tá pronta, o povo tá na rua. Vem pro debate, porque quem quer governar o Rio de Janeiro não pode ter medo do debate, quem quer governar o Rio de Janeiro tem que dizer o que pensa, e não pode dizer o que pensa só na sua Igreja, Crivella, vem falar onde tem que falar, que é na rua, que é no público, que é na praça."

O candidato do PSOL tocou no tema das religiões, afirmando que não tem nenhum tipo de preconceito religioso e defende a liberdade religiosa a todos, inclusive a de Crivella, e afirmou que justamente por isso o Estado não pode ser de apenas uma religião: "O Estado é laico, o que não quer dizer que as religiões estão eliminadas, nós queremos conversar com todas as religiões o tempo inteiro. Agora, a gente tem programa, e esse programa foi amplamente debatido com o conjunto da sociedade."

Freixo também denunciou o apoio de Indio da Costa, candidato do PSD derrotado no primeiro turno, à candidatura de Crivella no segundo turno. E contrapôs a aliança de seus adversários à campanha nas ruas e nas redes sociais que permitiu que, apesar dos escassos onze segundos que teve na televisão diariamente no primeiro turno, ele conseguisse atingir um patamar de votação que o colocou no segundo turno. "Eles estão tão preocupados que começaram a se juntar do lado de lá. É isso: nós não fizemos as alianças espúrias da velha política, porque é uma nova política. Só uma nova política é capaz de juntar essa quantidade de gente que a gente tá juntando hoje aqui. (...) Todos vocês estão aqui porque vocês têm identidade, porque vocês acreditam, porque o projeto que a gente está aqui falando foi um projeto que vocês fizeram e vocês sabem que vão governar junto com a gente. O nosso governo é com vocês. Eu não quero cuidar de ninguém, eu quero governar com vocês. Vocês sabem cuidar de vocês. (...) Vocês tem que ser chamados pra cuidar da cidade, e não alguém eleito cuidar de vocês."

E ressaltou a aliança de Crivella com Garotinho: "O Garotinho foi expulso da política do Rio de Janeiro, a população do Rio de Janeiro expulsou o Garotinho e as suas práticas." E afirmou que Crivella esconde ele, em oposição à sua campanha que "não esconde ninguém", e chama pro palco seus aliados. Disse que o PMDB está junto com Crivella, que entrou "pela porta dos fundos" para apoiá-lo. Citou outros aliados como o PP, de Dornelles, que não paga funcionário público.

Para conferir a fala de Freixo na íntegra, veja o vídeo abaixo:

Em seu perfil no Facebook, a campanha de Freixo publicou um vídeo com alguns momentos do comício:




Tópicos relacionados

Eleições Rio de Janeiro   /    Eleições 2016   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar