Internacional

GREVE MUNDIAL PELO CLIMA

Centenas de milhares de jovens tomaram as ruas de Nova York contra a crise climática

Centenas de milhares de pessoas, em sua maioria jovens de uma nova geração de ativistas, tomaram as ruas de Nova York nessa primeira jornada de luta contra a mudança climática.

sexta-feira 20 de setembro| Edição do dia

Cobertura em espanhol da Rede Esquerda Diário direto da Praça Foley antes do início da manifestação em NY 0

Uma multitudinária manifestação tomou as ruas de Nova York e em milhares de cidades pelo mundo – link. Faltando 3 dias para o início da Cupula do Clima das Nações Unidas, sediada em Nova York, e no marco da semana pelo clima, essa cidade foi chacoalhada pela juventude.

Às 11 da manhã, uma hora antes do horário que a manifestação estava marcada, os organizadores já calculavam 100.000 pessoas presentes na Foley Square, próxima à prefeitura, que é o local onde o ato estava marcado para começar.

Desde as 09:30 da manhã já chegavam contingentes com uma maioria de jovens entre 12 e 17 anos, organizados desde suas escolas. Havia um grande sentimento de repúdio a Trump em centenas de cartazes contra o negacionismo da mudança climática que Trump expressa.

Jovem de 13 anos na manifestação explica porque ela opina que tem que lutar contra o capitalismo para garantir o futuro dela e sua geração

Também era possível ver muitas consignas responsabilizando o governo dos EUA pela recente catástrofe nas Bahamas e também em Porto Rico que exigiam o cancelamento da dívida e exigindo recursos para reconstrução da ilha depois da devastação provocada pelo furação Maria.

Próximo das 12:30 os manifestantes começaram a manifestação que terminaria com um discurso da jovem ativista sueca Greta Thunberg, momento muito aguardado pelos presentes.

Tweet drestacado pelo New York Times mostrando um protesto estundantil, com centenas de estudantes recusando-se a entrar em aula depois da determinação do Departamento da Educação

Apesar de que o governo de Nova York tinha anunciado que liberaria os 1.1milhão de estudantes de suas aulas para que pudessem ir ao protesto, mas no último momento o Departamento de Educação proibiu os professores de fazerem isso, argumentando que as escolas não devem tomar posição sobre a mudança climática. Isso significou que muitos jovens que irão participar dos protestos junto de seus professores não puderam fazer isso. Mesmo assim na maioria das escolas primárias e do ensino médio da cidade ocorreram ações espontâneas dos estudantes para sair de suas aulas e ir às ruas.

Na marcha se destacava muito a invervenção dessa nova geração de jovens ativistas, um imenso contingente multi-racial e desde uma muito jovem idade se organizando nos seus locais de estudo para chegar ao centro de Manhattan. Atrevessaram o coração de Wall Street e apontaram seus dedos aos mais ricos e poderosos os apontando como os culpados pela crise climática.

Leia também: "O capitalismo destrói o planeta, destruamos o capitalismo"




Tópicos relacionados

greve global pelo clima   /    Internacional

Comentários

Comentar