Sociedade

GREVE DA EDUCAÇÃO DE MG

Carta do Comando de Greve dos educadores da rede estadual de Contagem

segunda-feira 26 de março| Edição do dia

O Comando de Greve dos trabalhadores em educação da rede estadual de Contagem se reuniu nesta segunda-feira (26) e aprovaram uma carta dirigida a todas/os trabalhadores/as em Educação em greve, assim como aos comandos de greve nas distintas regiões de todo Estado. Nós, do Esquerda Diário nos colocamos a serviço da mobilização dos trabalhadores e reproduzimos abaixo a carta do Comando de Greve dos educadores estaduais de Contagem:

CARTA DO COMANDO DE GREVE DOS/AS TRABALHADORES/AS EM EDUCAÇÃO DA REDE ESTADUAL DE CONTAGEM – MG

O Comando de Greve de Contagem, reunido no dia 26/03/2018, escrevemos essa carta dirigida a todas/os trabalhadores/as em Educação em greve, assim como aos comandos de greve nas distintas regiões de todo Estado.

Desde a deflagração do movimento grevista, nosso comando de greve vem atuando em Contagem através de visitas às escolas e vem realizando panfletagens para a população, sendo estas a primeira na Estação Eldorado do metrô, na Praça Iria Diniz e nas comunidades escolares (nas escolas Helena Guerra, Confrade Antônio Pedro de Castro, Prof. Conceição Hilário).

Avaliamos que junto a essas medidas que já viemos realizando, é necessário intensificar ações que tenham maior impacto na organização da própria greve e no diálogo com a população e com as comunidades escolares. Acreditamos que devemos unificar todas as forças do movimento para podermos derrotar os ataques do governo Fernando da Mata Pimentel, do Partido dos Trabalhadores (PT).

Por isso, é necessário haver uma direção amplamente democrática do movimento em greve, erguida a partir das escolas mobilizadas. Assim, reafirmamos a resolução apresentada e votada na assembleia da rede estadual, no último dia 22/03, que se refere ao fortalecimento dos comandos de greve. Assim, propomos que seja feito um chamado pelos comandos em todas as escolas para haverem delegados/as escolhidos desde a base das escolas em greve para compor esse comando e aberto a todos/as os/as demais que queiram participar. Somente assim ergueremos um comando estadual de greve com a participação da base da categoria e que possa dirigir os rumos da greve.

Exigimos também que saia do papel a proposta de resolução também apresentada na última assembleia, que se trata da unificação das lutas com outros setores do funcionalismo estadual. Assim reafirmamos, como já apresentado e votado na última assembleia, que a CUT convoque um plano de lutas emergencial, unificando os/as servidores/as contra os ataques de Pimentel e em solidariedade à greve da educação. Até agora não tivemos nenhum retorno dessas articulações em sindicatos dirigidos pela CUT, e sequer a articulação desta central com outras centrais sindicais.

Por fim, propomos com base nesses novos passos, a articulação de um dia de luta unificado do funcionalismo público do estado de Minas Gerais. Um “dia D” para colocar o governador Fernando Pimentel contra a parede, pois os ataques sofridos pela educação também acontecem em outros setores do funcionalismo e impactam de forma expressiva a população quando esta também sofre com a falta de investimento e melhorias em setores como a saúde, educação, também como nos demais serviços públicos.

Contagem, 26 de março de 2018.
COMANDO DE GREVE DOS/AS TRABALHADORES/AS EM EDUCAÇÃO DA REDE ESTADUAL DE CONTAGEM – MG

foto: Lidyane Ponciano/ Sind-UTE/MG




Tópicos relacionados

Greve Educação MG   /    Minas Gerais   /    Contagem   /    Sociedade   /    Educação

Comentários

Comentar