Política

PEZÃO MANDA REPRIMIR

Carolina Cacau denuncia a repressão no ato dos servidores contra pacote do Pezão

No início dos trabalhos da ALERJ, a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro já demonstrou como tentará passar a privatização da CEDAE e os ataques aos servidores contidos no termo de compromisso entre Temer e Pezão: com muita bomba e repressão.

quarta-feira 1º de fevereiro de 2017| Edição do dia

Carolina Cacau, ex candidata do MRT pelo PSOL, estudante da UERJ e professora da rede estadual denuncia repressão mandada por Pezão contra o ato dos servidores:

Desde a manhã, a Força Nacional já estava à postos junto aos policiais, cerca de 500 no total, segundo as informações oficiais.Hoje era apenas o início dos trabalhos, a primeira votação que será sobre a privatização da Cedae será no dia 07.
O ato contava com grande número de servidores da CEADE, servidores da UERJ, da UENF, professores da rede estadual, servidores da saúde e diversas outras categorias que já estão sendo afetadas pelo parcelamento dos salários, e serão atacadas tanto pela privatização da Cedae, quanto pelo aumento da contribuição previdência de 11% para 22%, o dobro durante três anos. Além disso, aos servidores celetistas o governo reserva a demissão, e todo o serviço público sofrerá cortes de gastos afetando diretamente os serviços básicos prestados à população.

Siga: Ato dos servidores do Rio é reprimido pela polícia




Tópicos relacionados

Luiz Fernando Pezão   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar