Sociedade

CENSURA NO ESPORTE

Carol Solberg se diz censurada, " vou recorrer, não concordo com essa decisão"

A jogadora de vôlei, multada e advertida pelo STJD, disse não se sentir aliviada com a advertência e que irá recorrer da decisão, pois: "É o momento onde eu tenho voz. Eu acho que tenho que poder falar o que eu quiser, sim".

terça-feira 20 de outubro| Edição do dia

No programa da GNT Papo de Segunda, Carol Solberg, jogadora de vôlei recentemente advertida pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva, disse que se sente censurada pela decisão do tribunal e de que irá recorrer:

"Não (se sentiu aliviada com apenas uma advertência). Alívio de jeito nenhum. Por tudo que está acontecendo nesse país, esses absurdos todos. Então eu acho uma loucura, de alguém dizer o que posso e o que eu não posso. É isso, vou recorrer, não concordo com essa decisão. Acho que me sinto no direito quando tô dando uma entrevista, é o momento onde eu tenho voz. Eu acho que tenho que poder falar o que eu quiser, sim".

Veja mais: 5 momentos icônicos do esporte que seriam censurados pelo STJD

Além disso, Carol voltou a expressar sua indignação contra o governo reacionário de Bolsonaro, colocando que são questões que extravasam a política, "são questões de direitos humanos".

"Olha, eu acho que o atleta tem que poder falar o que ele quiser, essa é a minha opinião. Não tem nem como ficar negociando, posso falar até ali, até aqui. Eu acho que eu não fiz, eu não usei aquela entrevista como palanque. Não é política, são questões de direitos humanos, vai para outro lugar. É uma indignação, eu sou uma cidadã, como outro qualquer. Quero estar numa entrevista e me sentir à vontade, falar o que eu quiser, o que eu acredito".

Fabio Porchat, apresentador do programa, ainda conseguiu através de uma brincadeira fazer Carol pronunciar as palavras que a justiça autoritária do país a proibiu de proferir. O humorista questionou Carol sobre o que ele precisaria falar se tivesse um filho chamado Bolsonaro dentro de casa e ele quisesse que o garoto saísse para o lado de fora. Carol, em tom de brincadeira, respondeu: "Fora, Bolsonaro".

Manifestamos nosso apoio a atleta e declaramos que estamos lado a lado com ela, no combate ao autoritarismo judiciário que deseja calar as vozes de resistência.

Veja mais: "O STJD ataca os direitos de expressão de Carol Solberg", diz Diana Assunção




Tópicos relacionados

Fora Bolsonaro, Mourão e os militares   /    Esportes   /    Censura   /    Jair Bolsonaro   /    Esporte   /    Sociedade

Comentários

Comentar