CAMPINAS

Carnaval em Campinas é marcado por repressão e lei seca de Jonas Donizette

Mais uma vez o carnaval em Campinas é marcado pela repressão policial da prefeitura, dessa vez Jonas se utilizou de um decreto que proíbe venda de garrafas de bebida alcoólica, toque de recolher nos bares e centenas de guardas para reprimir a juventude pobre e negra que ia à Barão Geraldo.

domingo 11 de fevereiro| Edição do dia

Na noite de sexta-feira, 9, centenas de guardas civis fecharam as saídas e entradas de Barão Geraldo, o distrito onde está situada a Unicamp, pararam ônibus, revistaram jovens, fecharam ruas, bares, armados com metralhadoras promoveram um verdadeiro desfile no distrito, isso tudo em nome de reprimir a juventude pobre e negra que furava as barreiras da cidade e tentava participar da folia do bloco de carnaval tradicional da cidade, o Berra Vaca, um dos únicos blocos que desfilam a noite.

Além de todo esse clima de terror, a prefeitura de Jonas Donizette (PSB) baixou um decreto em 31 de janeiro de 2018 proibindo a venda de garrafas de bebida alcóolica em torno de onde se realizam os blocos de Carnaval, diversos bares foram obrigados a fechar suas portas às 22h, e há casos de bares que não vão poder abrir suas portas no carnaval sem nenhuma justificativa da prefeitura.

Na noite de sábado, 10, foram mais relatos de represália da polícia. Essa não é a primeira vez que esse nível de controle e repressão ocorre no carnaval da cidade, em anos anteriores policiais chegaram à jogar bombas e sprays de pimenta nos foliões para dispersar os que estavam se divertindo nas ruas, além de reprimir qualquer manifestação de funk no carnaval, mostrando que o objetivo é manter a “ordem”, expulsando a juventude periférica dos centros e espaços elitizados da cidade.

Jonas, o prefeito que está na lama da corrupção, e seus capangas, têm medo da população na rua, quer mantê-la sobre seu controle, porque sabe que isso é crucial para manter a ordem que os faz regados à privilégios. Por isso reprime até mesmo uma das únicas possibilidades de diversão em espaço público e de forma gratuita dos trabalhadores no ano.

Mas o prefeito que nos rouba 4,70 todos os dias no transporte, nos rouba o direito à saùde no hospital ouro verde e que está lado a lado com os planos dos golpistas em nos tirar o direito a decidir em quem votar e a passar a reforma da previdência, não vai roubar a alegria da juventude e dos trabalhadores e vamos colocar nosso bloco na rua contra cada um desses ataques!




Tópicos relacionados

Carnaval 2018   /    Campinas   /    Repressão

Comentários

Comentar