Política

ELEIÇÕES 2018

Carlos Bolsonaro chama a Folha de comunista em mais uma ameaça à liberdade de imprensa

quinta-feira 18 de outubro| Edição do dia

Em sua conta do Twitter, Carlos Bolsonaro referiu-se ao jornal Folha de São Paulo como "foice de SP", e declarou que a matéria da Folha que denúncia o uso ilegal de serviço de "disparos" no Whatsap teria sido feita pelos jornalistas por "medo de perder a boquinha".

Como se pode ver, Carlos Bolsonaro não teve coragem de dizer que a matéria seria mentira. Ao contrário, disse que seria "meia-verdade", ou "mentira descontextualizada". Segundo a Folha, os contratos individuais com as empresas Quickmobili, Yacows, Croc Services e SMS Market chegariam até R$ 12 milhões. A denúncia seria então de crime eleitoral por caixa 2, além da compra de público que receberia as mensagens sem ter sido consultada, ou seja, de maneira involuntária.

Carlos Bolsonaro, que quer defender a enxurrada de fake news propagada pela campanha do seu pai, é também um grande defensor da ditadura, tendo recentemente virado celebridade da direita reacionária ao publicar imagem aludindo a tortura de membro do movimento #EleNão, e ele mesmo é amplo defensor dos ataques aos trabalhadores tendo dito recentemente que quer "dizimar" trabalhadores da CUT.

Leia também: O que a CUT e a CTB estão esperando para organizar milhares de comitês de base contra Bolsonaro?




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar