Gênero e sexualidade

"LIBERDADE,LIBERDADE"

Capitulo de “Liberdade, liberdade” pode dar choque na heterocentrada teledramaturgia brasileira

Isso, porque a trama das 23h da TV Globo, promete exibir a primeira cena de sexo protagonizada por dois homens, os personagens André (Caio Blat) e Tolentino (Ricardo Pereira). Até o momento, as telenovelas nacionais deram espaço somente a um beijo gay (na novela Amor à Vista, de 2014). A simples manifestação de amor e afeto entre duas pessoas do mesmo sexo, que na época já gerou significativa reação contrária, em que explicitou parte significativa da audiência conservadora, mas que ainda assim, despertou maior comoção e posicionamento por outro amplo setor.

quarta-feira 13 de julho de 2016| Edição do dia

"A cena deve ir além do desejo represado, da relação homossexual desses dois personagens. Ela deve refletir o drama de cada pessoa que sofre algum tipo de repressão ou condenação social, seja por sexo, cor ou religião", pontuou o diretor, no material de divulgação da cena em questão.

Escrita por Mário Teixeira, a trama retrata o Brasil do século 19 e apresenta muitos temas polêmicos, como a escravidão e a violência contra a mulher. Naquele período também, a homossexualidade ainda era tratada como crime.
A cena em si, não terá sexo explícito e sobressairá o aspecto afetivo entre os personagens. O que pode ser ainda um limitador.

"O amor que existe ali é lindo e traz muito do que a novela defende: a luta contra o preconceito, contra a intolerância e pela igualdade entre todas as pessoas", endeusa Ricardo Tolentino, em depoimento para a emissora.

Assim como na vida real, os personagens sofrerão consequências por tal envolvimento homoafetivo. Mas diferente das novelas, a vida cotidiana da população LGBT, não se dá de forma romantizada, mas sim abafada, e oprimida, e esquecida, nem noticiada ou respeitada.

Por mais singelo que se possa parecer à demonstração de afeto e/ou sexualidade entre duas pessoas, que é tão naturalmente comercializada e mercantilizada nos moldes heterossexuais ao longo de toda a nossa existência, a simples possibilidade de existência de um romance homossexual, é capaz de mobilizar um setores conservadores em boicote a novela, como forma de protesto.

E por mais absurdo que isso pareça, a mensagem de tal campanha é:
"Dia 12, o demônio agirá, por meio desta emissora, que transmitirá cenas de sexo gay numa de suas novelas! Você, católico, não pode servir a dois senhores", diz a imagem divulgada por uma página no Facebook.

Além da forte campanha tocada por grupos católicos e protestantes nas redes sociais, de acordo com informações do jornalista Ricardo Feltrin, lideranças religiosas já mobilizam seguidores para promover passeata em várias capitais contra a exibição do que eles consideram “atentado ao pudor e à família brasileira”.

Após isso, muitas pessoas compartilharam a campanha com fervor, e outros muitos com indignação. Indignação essa que esbarra na vivência de cada LGBT, que por concepção opressivas, está atentando aos valores machistas e patriarcais, e que agem contra a individualidade de cada uma dessas identidades, de modo a minar cada uma de suas possibilidades de existência e sobrevivência.

Imagem: purepeople.com.br




Tópicos relacionados

Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar