Mundo Operário

SANTO ANDRÉ

Caos no transporte público de Santo André

terça-feira 22 de agosto| Edição do dia

No terminal Vila Luzita, onde os ônibus velhos circulam em estado deplorável, com motoristas sobrecarregados pela jornada extensa, nervosos com o trânsito caótico e com as empresas, que não dão o suporte necessários para manutenção dos ônibus.

A atual prefeitura de Santo André abriu licitação, mas não para outras empresas operarem no sistema/tronco da Vila Luzita, mas sim para apresentarem um estudo (Oficina Engenheiros e Consultores Associados LTDA) de quais são as condições deste importante tronco, que transporta mensalmente cerca de mais de 1 milhão de pessoas. Esta empresa, capitalista e oportunista, assim como seus contratantes, custará aos cofres públicos R$1,24 milhão pelo tal estudo, que durará no mínimo um ano.

A empresa que hoje opera este tronco do terminal Vila Luzita - a Suzantur - já entrou de forma emergencial e tanto estranha na operação, pois era no final da gestão do então prefeito Carlos Grana, a empresa que operava era Guarará/São José, que abriu falência e avisou que não mais operaria. Grana não fez estudo algum, não abriu licitação e empurrou goela abaixo da população a Suzantur, que coincidentemente também opera na cidade de Mauá, também administrada na época pelo petista Donisete Braga.

A atual administração de Santo André, Paulinho Serra e sua ``genial equipe``, na transição dos governos PT/PSDB, desaprovou a implantação da Suzantur da forma que foi na época, mas até hoje, além de não abrir licitação, contratou a empresa para fazer ``estudos`` e não para resolver o caos no transporte público andreense.

Restou à população de Santo André frotas de ônibus velhos de todas empresas que operam. A Suzantur opera com carros seminovos, mas de forma ilegal e imoral aos olhos de nós que pagamos R$4,20 numa condução precariamente desgastada, que não cumpre horários estipulados e com trabalhadores, cobradores, motoristas mal estruturados e ônibus que necessitam de reciclagens. São os capitalistas pondo trabalhadores X trabalhadores, ambos com menores condições de vida e condições de trabalho.

Sabemos que as empresas de transporte são verdadeiras máfias que atuam junto às prefeituras. Para resolver o problema, precisamos lutar pela estatização do transporte público sob controle dos trabalhadores e usuários. Assim poderemos opinar e decidir sobre os horários, percursos e valor da tarifa, implementando um transporte que atenda às necessidades da maioria da população.




Tópicos relacionados

Transporte   /    ABC paulista   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar