Política

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Campinas: Jonas quer ajuda de Paulo Guedes contra os servidores

A proposta da reforma da previdência de Bolsonaro tem seu efeito cascata: governos e prefeituras começam o ano querendo atacar os servidores.

quinta-feira 10 de janeiro| Edição do dia

Imagem: CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette do PSB, nunca escondeu sua prática de retirada direitos dos servidores municipais e da população de Campinas. E para isso, contará no ano de 2019 com o apoio de seu aliado PSDB no governo estadual com João Dória, e de Jair Bolsonaro do PSL na presidência da república, com quem rapidamente se apressou em tirar uma selfie assim que ocorreu sua cerimônia de posse.

Por trás de um mandato em que uma série de denuncias vem à tona, dentre elas um mega esquema de corrupção envolvendo o Hospital Ouro Verde com familiares, o alto escalão político e empresarial da cidade, atingindo inclusive o maior grupo de comunicação da região, com os donos do Jornal Correio Popular na investigação, o prefeito de Campinas mira nos servidores em 2019.

Como se não bastasse atrasar o salário dos servidores, que ainda não receberam parte do salário de dezembro e o 13o da prefeitura, o prefeito quer acabar com a aposentadoria daqueles que servem e atendem a população diariamente, mesmo com todas as dificuldades enfrentadas com o abandono e precarização dos serviços. Segundo notícias veiculadas na mídia regional, Jonas que é presidente da Frente Nacional de Prefeitos, estaria negociando diretamente com Paulo Guedes para que os municípios fossem incluíveis na reforma da previdência federal, evitando assim o desgaste dos atuais prefeitos. Mesmo que isso não ocorra, está claro o objetivo de atacar os servidores em Campinas e alterar o CAMPREV. Segundo o projeto que foi protocolado, o desconto que hoje é de 11% no salário relativo à previdência poderia chegar a 19,5%, um verdadeiro absurdo. Bernadelli(PSDB), novo presidente da câmara e fiel escudeiro de Jonas, diz que o assunto será tratado esse ano. Provavelmente se inspira em seus correligionários de SP, que bateram em professoras e servidores para aprovar na calada da noite.

Muitos trabalhadores se enganaram com uma suposta oposição do PSB de Jonas e Marcio França ao PSDB no governo de SP. Fechada as urnas e terminada a campanha, voltamos ao que essa gente mais sabe fazer: dividir cargos, indicações e privilégios. O novo secretário da educação de SP no governo municipal de Bruno Covas(PSDB) será João Cury Neto, antigo secretário no governo Marcio França. Já em Campinas, em meio a uma crise enorme em que 14 vereadores boicotaram a eleição, Marcos Bernadeli do PSDB foi eleito para a presidência da câmara dos vereadores. É o famoso "toma lá da cá" entre PSDB e PSB que ocorre a muitos anos em SP.

Com ou sem a ajuda do "posto Ipiranga" de Bolsonaro, o recado é claro: é nos direitos dos trabalhadores, e não nos privilégios dos ricos, que a prefeitura de Campinas vai querer mexer em 2019. Jonas, Dória e Bolsonaro estão unidos contra o povo: é preciso unificar os trabalhadores e a juventude para barrar esse ataque.




Tópicos relacionados

Paulo Guedes   /    Governo Bolsonaro   /    Jonas Donizette (PSB)   /    Campinas   /    Jair Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar