Educação

CAMPINAS

Campinas: Governo de SP deixa 1,5 mil crianças sem aula por falta de professor

Esses números são da Diretoria de Ensino de Mogi Mirim, onde as cidades Amparo, Águas de Lindóia, Itapira e Serra Negra, todas da Região de Campinas, terão 45% de seus estudantes afetados.

sábado 5 de janeiro| Edição do dia

Foto: Pedro Graminha; Montagem: Fredy Alexandrakis

Em projeção, realizada pela própria se Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, cerca de 2,5 milhões de estudantes do estado ficarão sem aulas a partir do dia 1 de fevereiro por falta de professor. A situação da região de Campinas é crítica, conforme aponta o levantamento, sendo que 1,5 mil estudantes, o correspondente a 45% do total, das cidades de Amparo, Águas de Lindóia, Itapira e Serra Negra serão afetadas.

O motivo do problema é a recusa do governo do Estado de São Paulo, tendo como cabeça o recém empossado João Dória (PSDB), em abrir novos concursos para contratação de professores, somado a liminar aprovada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, no final ano passado, onde se proíbe a contratação de novos professores temporários - os chamados “categoria O”.

Apesar dos esforços de Dória e seus secretários em ligar a trágica situação à Márcio França, seu antecessor no governo do estado, a política de desmonte da educação pública e ataque aos professores por parte dos governos do PSDB, com Alckmin a frente, é histórica. Os argumentos de falta de recursos para a educação se enlaçam com os escândalos de corrupção nas verbas destinadas a merenda no estado.




Tópicos relacionados

Crise na Educação   /    João Doria   /    Educação   /    Campinas

Comentários

Comentar