Sociedade

UERJ RESISTE

Campanha #UERJRESISTE ganha força nas ruas e nas redes sociais

Juan Pablo Díaz Vio

RIO DE JANEIRO

segunda-feira 23 de janeiro| Edição do dia

A Universidade do Estado do Rio vem desde 2014 sofrendo um processo de precarização e de aprofundamento da crise atrasando salários, décimo-terceiro, bolsas, calotes nos salários dos trabalhadores terceirizados, bandejão fechado e que chega em 2017 num ponto crítico quando o Reitor da universidade anunciou que existe a ameaça de fechar a universidade por falta de verbas.

Frente a isto vem se levantando uma campanha em defesa da UERJ, uma universidade pioneira em implementar o sistema de cotas, onde muitos dos estudantes são negros e vindos das classes populares, muitos moradores de lugares distantes como a Baixada Fluminense.

Com o hashtag #UERJResiste os setores em luta da própria universidade, servidores, docentes e estudantes resistem a ofensiva precarizadora e privatizadora da Reitoria e do governo do Pezão e do golpista PMDB. Frente a isto as categorias da UERJ tem demonstrado disposição à luta como na assembleia dos docentes que contou com a presença história de mais de 500 professores que decidiram pela continuidade do estado de greve.

A campanha em defesa da UERJ se estendeu para além dos muros da universidade e começa a ganhar visibilidade e apoio popular na cidade o que ficou evidente no ato do ’Abraço em defesa da UERJ’ na quinta-feira 19 de janeiro onde mais de 2,5 mil pessoas se reuniram em defesa da educação pública.

Fala de Carolina Cacau no Abraço em defesa da UERJ

Professores da Universidade do Estado do Rio compartilharam depoimentos em defesa da UERJ nas redes sociais como a da professora Elaine e Cleier.

Professora Elaine Behring em defesa da UERJ

Professora Cleier Marconsin em defesa da UERJ

Ou os próprios estudantes também tem se mobilizado nas redes sociais com depoimentos defendendo a instituição.

Ana Carolina em defesa da UERJ

Milena Karneiro em defesa da UERJ

Inclusive os parlamentares do PSOL Rio de Janeiro também tem se pronunciado contra os ataques que sofre a universidade como podemos ver na declaração de Luciana Boiteux e no vídeo de Marcelo Freixo. Carolina Cacau também gravou um depoimento em defesa da universidade e em resposta ao editorial do jornal O Globo que propõe privatizar a universidade.

Declaração de Marcelo Freixo em defesa da UERJ

Também Vladimir Safatle na sua coluna no jornal Folha de São Paulo se posicionou em defesa da universidade e que você pode acessar aqui.

A defesa da UERJ também mobiliza setores em outras universidades como por exemplo a carta da reitoria da UFBA ou a declaração da Associação de pós graduação da PUC ou a dos coletivos Vila da PUC e Bastardos da PUC defendendo a universidade pública.

Nós do Esquerda Diário junto com fortalecer a luta em defesa da UERJ levantamos a campanha pelo não pagamento da dívida pública para dar uma resposta de fundo a crise da universidade do estado do Rio que está diretamente relacionada com a crise do estado do Rio de Janeiro que precariza os serviços públicos ao tempo que da milionárias isenções fiscais a empresas. Figuras públicas como Tarcisio Motta e Eliomar Coelho também apoiam.

Fique atento para novas atualizações no Esquerda Diário sobre a campanha em defesa da UERJ. #UERJResiste #PeloNãoPagamentodaDividaPublica




Tópicos relacionados

#UERJResiste   /    Dívida pública   /    Sociedade   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar