Gênero e sexualidade

NÃO À PEC 181

Câmara vota PEC 181 que quer proibir mulheres de abortarem em casos de estupro

Câmara dos Deputados vota neste momento a PEC 181 que impedirá mulheres de abortarem mesmos nos casos permitidos atualmente, como estupro.

terça-feira 5 de dezembro| Edição do dia

Está acontecendo hoje (5), neste momento, a votação da PEC 181 na Câmara dos Deputados. Chamada de "cavalo de Troia", a PEC tenta incluir um trecho que pode tornar crime a realização de aborto ainda nos casos permitidos atualmente como em caso de risco de vida da mãe, fetos anencéfalos e estupro.

A bancada evangélica movimenta-se para retroceder ainda mais na liberdade à escolha e ao direito ao corpo das mulheres. Na primeira votação da PEC, as mulheres saíram às ruas nas principais capitais brasileiras exigindo direito ao aborto legal, seguro e gratuito.

Hoje, ocorrem atos contra a reforma da previdência e também mulheres se uniram para lutar contra o tremendo absurdo que é a PEC 181. No Brasil, morrem 4 mulheres por dia devido à abortos clandestinos e mal sucedidos, feitos em condições insalubres.

A realidade do aborto no Brasil é um debate que perpassa as questões de Saúde Pública e classe, pois aquelas que morrem e que sofrem com abortos clandestinos são as mulheres negras e pobres. No cenário oposto, os que lucram com essas mortes são os donos de clínicas abortivas e comerciantes do mercado ilegal de remédios abortivos.

É preciso travar uma luta e um combate às medidas conservadoras da bancada evangélica, para que as mulheres conquistem direito à escolha e ao seu próprio corpo, através de um projeto de educação sexual, métodos contraceptivos adequados para não engravidar e aborto seguro para não morrer.




Tópicos relacionados

Direito ao aborto   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar