Educação

JUIZ DE FORA

Câmara de Juiz de Fora quer votar repúdio à UFJF por defender a diversidade em vídeo

terça-feira 17 de outubro| Edição do dia

Por causa de um vídeo contra o preconceito e a LGBTfobia, a Universidade Federal de Juiz de Fora virou alvo de reacionários Conselho Tutelar e da Câmara Municipal de Juiz de Fora que classificaram como apologia a ideologia de gênero.

Assista ao vídeo que fez a direita surtar porque mostrando que as crianças não são preconceituosas:

O vídeo foi produzido pela UFJF no Colégio Pedro XXIII.

No vídeo de 4 minutos, a drag queen Femmenino pergunta sobre o que os alunos estão levando pro lanche e o que eles querem ganhar de presente no dia das crianças.

Em determinado momento inicia-se um dialogo que foi colocada em um post do deputado racista e homofóbico Jair Bolsonaro, esse trecho diz:

- Femmenino: "vocês vão ficar ai pensando sobre essa coisa de menino e menina"

Menino: "isso é preconceito!"

Femmenino: "Fala para todo mundo então esse negocio de menina e menino é o que então?"

Crianças em coro: "preconceito!"

Femmenino: "Toma família brasileira!"

O conselheiro tutelar Abraão Fernandes protocolou um pedido de providencia ao Ministério Público para ele é apenas o pai e a mãe que podem educar seus filhos.

"Em determinado momento, a drag deixa transparecer a questão da ideologia de gênero, ao dizer que não existe questão de brinquedo de menino e de menina. E ao dizer ’Toma família brasileira’ se torna um desrespeito, porque todas aquelas crianças são parte de uma família. A gente não está sendo homofóbico, nem discutindo diferentes formas de famílias. O artigo 22 do ECA destacou o direito de guarda dos pais e o Estado não pode ir na contramão do direito fundamental do pai e da mãe sobre como educar o filho", destacou o conselheiro.

O conselheiro apenas ignorou que a "família brasileira" referida, no caso, é a tradicional família heteronormativa e patriarcal, que apesar de não ser o único tipo de família reconhecido pelo próprio ECA, é o único tipo de família aceito pelos reacionários Bolsonaro, Marco Feliciano e sua companhia da Bancada Evangélica.

Na câmara municipal de Juiz de Fora durante a primeira reunião ordinária do período legislativo de outubro, duas moções de repúdio apresentadas pelos vereadores André Mariano (PSC) e José Fiorilo (PTC) foram lidas e colocadas para apreciação do plenário.Para os vereadores o vídeo faz apologia a ideologia de gênero e está fora do PME.

Essa moção vai ser votada hoje 17/10 as 17:30 na câmara municipal,neste horário vai ter um ato na câmara contra essa moção dos vereadores de Juiz de Fora. Veja aqui a convocatória no Facebook

Isso mostra o quanto é institucionalizado a transfobia e a homofobia no nosso país, colocando como base a família heteronormativa patriarcal que é uma das bases fundamentais do capitalismo.




Tópicos relacionados

Juiz de Fora   /    Homofobia e Transfobia   /    Educação   /    LGBT   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar