Política

MAIS CORRUPÇÃO

Câmara ataca trabalhadores com reformas, mas para Loures mantém um salário de 33,7 mil

Amanda Navarro

Biomédica e Bolsista no Hospital Universitário da USP

quarta-feira 24 de maio| Edição do dia

O deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) terá seu salário de 33,7 mil reais e seu plano de saúde mantidos após decisão da Câmara dos Deputados. Já para os trabalhadores, a Câmara dos 1.829 comprados pela JBS quer manter todos os ataques.

Loures, é o deputado que foi citado na delação Joesley, revelando que a JBS havia prometido 500 mil reais por semana durante 20 anos para facilitar as relações no Conselho Administrativo de Defesa Econômica, onde Loures se comprometeria a garantir uma decisão provisória para retirar o monopólio da Petrobras no fornecimento de gás para a termoelétrica do Grupo J&F.

Além disso, que recebeu 50 mil reais de Dória, atual prefeito de São Paulo, para se candidatar para o cargo de deputado em 2014. Apesar de perder outros privilégios como o auxílio moradia e sua cota parlamentar utilizada para cobrir gastos com passagens aéreas, correios e telefonia.

As reformas na previdência são defendidas pelo governo golpista de Temer e seus aliados políticos e burgueses partindo do ponto que não será possível mantê-la da forma como é por falta de verba. Entretanto, decidem que os privilégios de políticos como de Loures, que mesmo após citado na delação de Joesley, devem permanecer intactos. Demonstram, mais uma vez, que a conta da crise capitalista deve cair nas costas dos trabalhadores, mas nunca sobre os reais responsáveis.

Leia também: Loures devolve dinheiro de propina, mas 35 mil desaparecem e PF faz vistas grossas




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar