Sociedade

MUNDO OPERÁRIO

Calote de empresas no Fundo de Garantia prejudica 8 milhões de trabalhadores

quinta-feira 20 de julho| Edição do dia

A dívida total das empresas com o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é de R$ 24,7 bilhões, o que atinge mais de 8 milhões de trabalhadores. São mais de 200 mil empregadores (entre eles algumas prefeituras) que devem o dinheiro ao Fundo de Garantia segundo informações da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

Até o dia 12 de julho, 43,6 milhões de trabalhadores já tinham sacado o seu dinheiro, e mais de um terço utilizou o mesmo para pagamento de dívidas. Ou seja, essa medida populista do golpista Temer fez apenas transferir o dinheiro do estado para a mão dos empresários. Veja mais sobre isso neste link.

Das 20 empresas com a dívida maior, ao menos dez estão falidas. Entre elas estão a Varig, Vasp e a antiga TV Manchete. A lista completa das empresas devedoras está divulgada no site da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), mas reproduzimos abaixo as principais caloteiras segundo o site do G1:

“Estamos ainda negociando junto àquela instituição a regularização dos débitos de forma que seja possível o cumprimento de um futuro acordo para a adimplência do FGTS”, diz a prefeitura DE Itabuna em nota que também é uma das devedora do FGTS.

A maioria dos trabalhadores só souberam que não tinham como sacar o dinheiro do FGTS após a medida de Temer para retirada do dinheiro.Em suma, os capitalistas lucram com a orça de trabalho dos trabalhadores e além de tudo sugam o dinheiro que é seu por direito, por exemplo impedindo-os de sacar o FGTS.

Prefeituras devedoras gerem mal o dinheiro dos trabalhadores e para continuarem a ser o balcão de negócios da burguesia também cometem o crime de utilizar o dinheiro dos trabalhadores para fins que não o seu já dito direito.




Tópicos relacionados

FGTS   /    Sociedade   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar