Educação

GREVE USP

Cafu defende cotas raciais na USP e apoia greve em defesa da educação pública

Cafú, capitão do penta com a Seleção Brasileira de futebol em 2002 declarou ao vivo no programa Boa Tarde Fox que apoia a luta dos estudantes da USP por cotas raciais, moradia e contra o desmonte que ataca os direitos dos funcionários e contratação de professores, precarizando a Universidade pública: "estão reivindicando aquilo que é deles, a USP é do povo!".

sexta-feira 24 de junho de 2016| Edição do dia

Marcos Evangelista de Morais, mais conhecido como Cafú se consagrou como capitão da Seleção Brasileira de 2002 que levou o pentacampeonato mundial e é considerado um dos maiores laterais direitos do futebol. Em declaração ao vivo na TV Fox, surpreendeu quando, ao ser convidado a deixar um recado aos telespectadores, mandou seu apoio aos estudantes da USP que lutam por educação e saúde públicas de qualidade para a população.

Cafú fez questão de destacar que ao contrário dos que dizem que os estudantes são baderneiros, ele acredita que eles estão lutando por um direito que é deles porque a Universidade pública deve garantir educação de qualidade para a população.

Professores, funcionários e estudantes da USP, junto as três categorias das outras Universidades Estaduais Paulistas, Unicamp e Unesp, estão construindo uma forte greve contra os cortes orçamentários e o desmonte da Universidade pública. Eles têm como pauta a luta em defesa da saúde pública, contra a privatização dos Hospitais Universitários que servem como escola para os estudantes e também prestam serviço a população, por melhores condições de salário e trabalho e também defendem políticas de permanência estudantil, com bolsas e moradia para garantir que os jovens pobres também tenham acesso e possam se manter na Universidade.




Tópicos relacionados

Greve das estaduais paulistas   /    Luta contra ajustes na USP   /    Educação   /    USP

Comentários

Comentar