Política

JUSTIÇA BURGUESA

Cabral come queijo de R$ 300 por Kg enquanto os presos comuns pegam tuberculose no Rio

quarta-feira 29 de novembro| Edição do dia

Na Galeria C da Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, que o ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, divide com seus aliados, foi descoberto diversos itens de luxo, ao mesmo tempo em que o exército ocupa o Rio de Janeiro e mais de 40% dos presos não foram nem julgados ainda, mas permanecem presos no Brasil.

Entre os itens de luxo está um pote de queijo Chavroux, feito à base de leite de cabras francesas que custa de R$ 230 a R$ 300. Outro francês à mesa era o Babyel, queijinhos do tipo Saint Paulin, que vêm embalados em bolinhas e custam R$279, o quilo. Além disso, existe uma televisão de 65 polegadas que custa em torno de R$ 7,5 mil.

Enquanto isso, assistimos no começo do ano uma grave crise nos presídios do país, em especial no Rio de Janeiro aonde um surto de tuberculose ameaça a vida dos presos comuns, população esmagadoramente composta por pobres e negros que não podem pagar um advogado, às vezes nem mesmo foram julgados, ou ainda, em grande parte são presos injustamente pela polícia racista enquanto corruptos e ricaços são soltos pelos seus compadres juízes.

Entenda o caso: Presos passam fome e morrem de doenças como tuberculose em presídios do Rio de Janeiro

Com chacinas ocorrendo em diversos presídios comandados pelo narco-tráfico, enquanto o governo golpista de Temer disse que eram apenas coincidência, os presídios no Brasil são a cara da justiça burguesa: injusta com os pobres e negros enquanto deixa os ricos impunes. Mais de 40% dos presos no Brasil, estão a mais de 5 anos na cadeia e nem ao menos foram julgados, e desses 40% mais de 60% são negros, assim como a maioria esmagadora nos presídios e que são mortos e presos fruto da violência policial.

É um completo absurdo, que políticos presos por desvio corrupção e desvio de dinheiro consigam manter tais privilégio nas cadeias. Pelo fim dos privilégios de todos os políticos.




Tópicos relacionados

Sérgio Cabral   /    Política

Comentários

Comentar