Política

GOLPE INSTITUCIONAL

CUT convoca manifestantes para ato em Brasília

sexta-feira 26 de agosto| Edição do dia

“Vamos tomar Brasília” – Em ato com o ex-presidente Luís Inácio da Silva, nesta quinta-feira, 25, o presidente da Central Única dos Trabalhadores Vagner Freitas (CUT), reforçou o chamado aos trabalhadores para compor um ato em Brasília, no próximo dia 29 de agosto, dia em que a presidente afastada será ouvida no Senado, pelo processo de impeachment.

Freitas afirmou que irão tomar Brasilia de vermelho, hoje, ao participar de ato em frente ao estaleiro Eisa PetroUm, onde estão paradas as obras de navios subsidiados pela Petrobrás Transpetro.

Os sindicalistas e Freitas colocam a culpa das paralisações na Operação Lava Jato, dizendo que os trabalhadores não devem pagar pelas investigações. Ele disse “A Lava Jato, a única coisa que lavou, foi o emprego do trabalhador”. Alegando que as pessoas investigadas devem ser punidas e não as empresas, pois quem sofre os ataques são os trabalhadores.

Sabemos que não é de hoje que o CUT e os sindicalistas atuam em favor de interesses burgueses, e convocar um ato para o próximo dia 29 de agosto, seria mais uma forma continuar o plano passivo assumido pelo PT e seus aliados, diante desse golpe institucional que se apresenta concretizado pela direita brasileira.
A CUT e o PT seguem seus conchavos, e de forma alguma concretizam um plano de lutas efetivo com a classe trabalhadora. Os acordos seguem seu fluxo favorecendo os grandes empresários e suas empresas.

Pintar Brasilia de vermelho diante do golpe da direita parece um discurso falacioso, pois as decisões que o PT e seus sindicalistas vêm adotando diante de todos os ataques abusivos frente aos trabalhadores, desde que o Golpista Temer e sua corja tomaram o poder, de forma alguma correspondem às demandas da luta classista concreta. O plano discursivo é muito intenso, mas o enfrentamento direto e combativo caminha a passos bem lentos diante do Golpe.




Tópicos relacionados

Golpe institucional   /    CUT   /    Lula   /    Política

Comentários

Comentar