Sociedade

OLIMPÍADAS

COI ou DOI-CODI? As olimpíadas são contra a liberdade de expressão

Para os organizadores dos jogos olímpicos desse ano uma folha de papel escrito “FORA TEMER” parece dos elementos mais perigosos de ameaçadores, dignos da intervenção das forças armadas. São diversos casos de pessoas que vão manifestar suas posições políticas durante os jogos, com faixas, camisetas e folhas escritas, que estão sendo retiradas com truculência dos estádios.

Fernanda Montagner

São Paulo

segunda-feira 8 de agosto| Edição do dia

Mais do que a ameaça de terrorismo, a Força Nacional de Segurança tem tido como principal alvo pequenas folhas escritas “Fora Temer”. No Sambódromo, um torcedor foi retirado com truculência, na Arena Olímpica, durante a competição de ginástica, os policias foram denunciados por torcedores, por serem duros na repressão e de ameaçarem retirá-los. Também há relatos de perseguição, uma torcedora alega que um voluntário a seguiu até o banheiro por ter exibido uma faixa “Fora Temer’’, e ainda fez ameaças de que seu amigo tinha sido preso.

Fora das arenas esportivas, os atos durante a abertura dos jogos foram reprimidos com violência, chegando a 35 prisões em São Paulo, e o anterior clima de terror instaurado pelo chamado “combate ao terrorismo”, onde a polícia realizou buscas e prisões de pessoas que até hoje não se tem provas sobre qualquer envolvimento com o terrorismo.

O COI (Comitê Olímpico Internacional) tem como regras a proibição de manifestações que não sejam para fins amigáveis, como qualquer protesto político, regra essa que é confirmada pela justiça. O que poderia parecer uma tendência a imparcialidade dos jogos olímpicos, nas realidade é o completo oposto, frente a crise no Brasil, o aumento da insatisfação com o impeachment e a baixíssima aprovação do presidente inteirinho golpista, essas regras vem no sentido de calar a população que busca mostrar sua indignação durante os jogos.

Sabemos que essa Olimpíada está envolta por debates políticos, há pouquíssimo ou quase nada de entusiasmo da população com os jogos, na realidade existe muita insatisfação com a situação de desemprego e cortes, enquanto se gasta bilhões para garantir as Olimpíadas. Garantia essa que está sendo a base de muita militarização, e que deve ser usada para abrir terreno para os governos instaurarem um clima repressivo no pós Olimpíadas. O próprio Maia, novo presidente da Câmara, alegou que as leis “anti terroristas” não bastam, lei essa que desde 2014 tem sido usada para perseguir os lutadores de Junho, militantes do MST e que em nada garante que não será voltado contra o movimento operário futuramente.

Na realidade o COI se apóia nessa regra para esconder o descontentamento com as Olimpíadas e o governo golpista, contribuindo assim com impedir o maior desgaste do mesmo. Mas mais que isso, a proibição via força militar da expressão política nos jogos, muito se assemelha com métodos ditatoriais onde a liberdade de expressão é proibida. Como esperar que a população se cale em um evento onde os olhos do mundo estão voltados para o Brasil.

Não é a primeira Olimpíada onde o Comitê mostra seu caráter autoritário, em outro momento histórico de lutas e revoltas, em 1968, o COI também usou da sua parcialidade imperialista para punir velocistas por protestarem erguendo os braços reivindicando os Panteras Negras. Os atletas perderam suas medalhas nos jogos do México em 68, ao ligarem os jogos com a luta contra o racismo nos Estados Unidos, durante as revoltas negras o COI não só puniu os atletas, mas com essa medida deu um sinal ao mundo do seu caráter racista e repressivo as lutas.

Ainda que menos escandalosas que as violentas repressões policiais durante a Copa do Mundo, essa repressão que vemos nas Olimpíadas é qualitativamente superior pois atenta contra as mínimas liberdades democrática da população civil que vai assistir os jogos. Impõe um cerceamento e perseguição prévia a qualquer manifestação contrária ao golpe institucional no Brasil, que aí também se liga ao conteúdo do mesmo, que foi uma medida autoritária para fortalecer os setores mais de direita do Brasil. Assim longe de um purismo dos jogos, o COI na sua repressão apoia e garante o governo golpista, usando inclusive de métodos autoritários e repressivos.




Tópicos relacionados

Olimpíadas   /    Sociedade

Comentários

Comentar