Internacional

INTERNACIONAL

CHILE: Partido de Trabalhadores Revolucionários inscreve suas candidaturas em Antofagasta

Publicamos o comunicado à imprensa do Partido de Trabalhadores Revolucionários que em coletiva de imprensa apresentou suas candidaturas para estas eleições na região de Antofagasta

sexta-feira 25 de agosto| Edição do dia

"Boa tarde a todas e todos os presentes.

Aos meios de comunicação, aos trabalhadores, jovens, mulheres e vizinhos da região do país, nós do Partido dos Trabalhadores Revolucionários viemos apresentar nossas candidaturas parlamentares e para conselheiros regionais na região, e damos início à nossa campanha eleitoral nos dirigindo a todo o povo trabalhador, para apresentar nossas ideias e disputar a consciência de milhares, cansados dos candidatos empresariais e os políticos corrupto de Chile Vamos e a Nova Maioria.

Durante o mês de fevereiro, conseguimos reunir mais de 700 assinaturas na região, nas quais apoiaram trabalhadoras e trabalhadores, estudantes, aposentados, mulheres, imigrantes e pobladores, que descontentes com os velhos partidos, com o saqueio e a corrupção, confiaram na nossa organização e nos apoiaram para construir uma nova voz dos e para os trabalhadores, para defender e lutar pelos nossos direitos e nos organizarmos por uma alternativa que enfrente os poderosos e questione radicalmente as condições de exploração que sofre todo o nosso povo.

Com isso, viemos apresentar uma lista de mulheres e homens da classe trabalhadora, lutadores que trabalham e estudam e que junto a dezenas de operários, jovens e mulheres, nos organizamos nos nossos locais de trabalho, estudo e nas ruas, para defender nossas direitos e enfrentar Karen Rojo, Luksic e BHP Billiton.

Nossas candidaturas ao Congresso são compostas por companheiras como Galia Aguilera, professora da escola España, conhecida lutadora pelos direitos das mulheres e fundadora da agrupação Pão e Rosas no Chile; Nancy Lanzarini, ex-dirigente estudantil da Universidade Antofagasta e lutadora pela Educação Gratuita, pública e a serviço do povo trabalhador; Daniel Vargas, jovem advogado dos trabalhadores e dos sindicatos da região e Néstor Vera, ex dirigente estudantil e médico do hospital regional de Antofagasta.

Produto da Constituição de 1980 da ditadura, anti-trabalhadores, nós que somos dirigentes sindicais somos proibidos de nos candidatar ao parlamento mantendo nossa condição de dirigentes. Contudo, com mais força impulsionaremos as candidaturas dos trabalhadores para conselheiros regionais (CORE) com Lester Calderón, trabalhador da fábrica de explosivos Orica, presidente do seu sindicato e dirigente da Confederación de Trabajadores Metalúrgicos (CONSTRAMET); assim como nossa companheira acima mencionada, Patricia Romo, profesora da escola B-13, Presidenta do comunal do Colegio de Profesores e reconhecida lutadora pelos direitos dos professores, estudantes e em defesa da educação pública e gratuita.

Somos lutadoras e lutadores dos diversos movimentos sociais dos últimos anos, das lutas pelos salários, educação, pelos direitos das mulheres e contra a violência de gênero, e militantes que queremos demonstrar que os trabalhadores, as mulheres e a juventude também podemos fazer política e nos organizarmos, de forma independente dos empresários e de seus partidos de Chive Vamos e Nueva Mayoría.

Estamos cansados que decidam por nós políticos empresariais e corruptos. Por isso, lutamos para que todo parlamentar e político ganhe como um trabalhar qualificado ou uma professora, para questionar esta casta de políticos privilegiados que vivem como milionários, que criam leis e governam à serviço dos grandes grupos econômicos, nacionais e multinacionais.

Lutaremos também pela estatização do cobre e dos recursos naturais, sem indenização e gestionado pelos trabalhadores, para financiar sua saúde e educação gratuita, moradia, salários e pensões (NO+AFP) de acordo com a cesta familiar (equivalente ao salário do DIEESE no Brasil). Para colocar todos estes recursos à serviço das necessidades sociais do povo trabalhador, para colocar um fim ao saqueio das nossas riquezas e porque nossas vidas valem muito mais que os lucros deles.

Buscaremos também fortalecer as lutas pelos direitos das mulheres trabalhadores, jovens e pobres, por uma Lei de Emergência contra a violência de gênero e pelo direito ao aborto legal, seguro e gratuito.

Diferentemente da Frente Ampla, queremos atacar da raiz este sistema a serviço de uma pequena minoria de empresários, oligarcas e capitalistas, donos do país, enquanto a grande maioria vivemos com salários e aposentadorias de fome, temos que nos endividar e estão privatizando nossos mínimos direitos. Lutaremos por uma sociedade que acabe com a exploração e a opressão sob milhões de seres humanos e coloque os bens a serviço da satisfação do conjunto do povo trabalhador.

Apresentaremos uma agenda para enfrentar os candidatos empresariais e corruptos, partindo de um programa de esquerda anticapitalista que se propõe a conquista de um governo dos trabalhadores.

Chamamos a todos os trabalhadores, as mulheres, a juventude, a diversidades e os intelectuais, a esquerda, a apoiar estas candidaturas que impulsionamos de seus locais de trabalho, fábricas, empresas, escolas, universidades e fazer uma grande campanha onde se somem centenas de colaboradores nas ruas para fortalecer esta alternativa, de luta e independente dos empresários.

Vamos com a força dos trabalhadores, das mulheres e da juventude!"




Tópicos relacionados

Internacional

Comentários

Comentar