Educação

Greve Professores Municipais SP

CCJ da Câmara aprova com bombas a reforma da previdência de Doria

Em meio à repressão aos professores, é aprovada no CCJ da Câmara a reforma da previdência da cidade de São Paulo de Doria.

quarta-feira 14 de março| Edição do dia

Apesar do enorme rechaço popular, CCJ da Câmara Municipal de São Paulo segue os planos de Doria de atacar o direito de aposentadoria dos trabalhadores. Quase 100% dos professores das escolas que estão em greve estão paralisados contra a Reforma da Previdência paulistana (Sampaprev)

Milhares de professores foram à Câmara hoje se posicionar contrariamente a este ataque, mas foram impedidos de acompanhar a votação com portões fechados e tropa de choque. Com muita repressão, bombas e balas de borracha da polícia em cima dos manifestantes, os vereadores votam contra a população.

A CCJ tem que aprovar em três bancadas diferentes, uma de constitucionalidade, uma administrativa e uma orçamentária. Hoje aprovou em uma delas, eles podem tentar passar nas outras duas ainda hoje se tiver quorum. Amanhã haverá uma audiência pública sobre o tema. É possível que siga para votação da pauta nesta quinta-feira.

Confira a votação dos vereadores, favoráveis e contrários ao texto da reforma: André Santos (PRB) favorável, Caio Miranda Carneiro (PSB) favorável, Edir Sales (PSD) favorável, João Jorge (PSDB) favorável, Sandra Tadeu (DEM)favorável, Claudio Fonseca (PPS) contra, Reis (PT) contra, Celso Jatene (PR)

Doria quer dar o exemplo a partir de São Paulo de como atacar os trabalhadores em todo o Brasil, bem como se alçar como administrador confiável aos interesses da classe dominante sedenta por despejar a crise nas costas dos trabalhadores. Os professores municipais em greve por sua vez dão exemplo de luta, aos gritos de "Não tem arrego!" mesmo após a brutal repressão tucana, dispostos a defender os interesses da população trabalhadora.


Dentro da Câmara durante a votação


Polícia em defesa dos vereadores e contra o povo


Professores em luta, mesmo após repressão: Não tem arrego!

Marcas da repressão nesta quarta-feira (14/03):

Envie seus relatos, videos, fotos para o Esquerda Diário e para o Movimento Nossa Classe Educação em mensagem por in box.

Leia também:
"Não tem arrego", gritam professores municipais que resistem à repressão de Doria

"Qual o papel dos sindicatos?" participe do debate de greve entre professores municipais de SP

6 motivos para apoiar a greve dos professores municipais em SP

Urgente: Professores municipais de sp em greve ameaçam entrar na Câmara para barrar o Sampaprev

15/3: Todos com os professores pra barrar o SampaPrev de Doria




Tópicos relacionados

Greve Professores Municipais SP   /    Sampaprev   /    João Doria   /    Reforma da Previdência   /    PSDB   /    Educação   /    São Paulo (capital)   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar