Educação

USP: CAELL E CAPFF

CAs da letras e da pedagogia da USP declaram apoio aos trabalhadores da FORD

Victoria Luke e Clara Pereira, estudantes da USP, membras da Faísca e do Centro Acadêmico de Letras e da Pedagogia, prestam solidariedade aos trabalhadores da Ford

Clara Pereira

Diretora do Centro Acadêmico Professor Paulo Freire

quinta-feira 21 de janeiro| Edição do dia

TODO APOIO AOS TRABALHADORES DA FORD! NENHUMA DEMISSÃO!

Após um século de exploração, a multinacional Ford anunciou o fechamento de suas 3 fábricas no Brasil, deixando dezenas de milhares de famílias no desemprego em meio a pandemia.

Descarregando a crise nas costas dos trabalhadores, a montadora que lucrou 6 vezes mais em meio à pandemia - que agora já atinge o número de mais de 200 mil mortos - se aproveita da abertura dada pelos golpistas e por Bolsonaro com os inúmeros ataques anti operários que passaram do golpe até aqui, como a reforma da previdência, a reforma trabalhista, a terceirização irrestrita, as MPs da Morte, dentre outros ataques violentos aos direitos dos trabalhadores, e que foram levados a frente por meio de uma unidade entre os setores golpistas, servindo para garantir o lucro dos grandes empresários em detrimento da vida de milhões de trabalhadores.

Bolsonaro faz demagogia ao dizer que a Ford sai do país porque quer mais incentivos, considerando que, para além do lucro bilionário apenas no terceiro semestre de 2020, só para o ano de 2021 foi estabelecido o valor de R$ 5,9 bilhões em incentivos para as montadoras bilionárias.

E mesmo com esse fluxo colossal de dinheiro público para empresas bilionárias, a saída da Ford do país e a resposta do governo Bolsonaro exemplificam a irracionalidade capitalista, que agora deixa milhares de trabalhadores efetivos e terceirizados sem emprego em meio a uma profunda crise econômica, social e sanitária, com a empresa automobilística divulgando demagogicamente em suas redes que "não sairá do Brasil" ao mesmo tempo em que os milhares de trabalhadores que dedicaram anos de sua vida a essa empresa encontram-se agora desempregados.

Para lutar contra as demissões na Ford e todos os ataques de Bolsonaro e dos golpistas, é preciso construir uma forte luta nacional, que unifique estudantes e trabalhadores, efetivos e terceirizados, unificando na luta essa força autoorganizada, por isso é fundamental que os sindicatos e as principais Centrais Sindicais do país, como a CUT e CTB, dirigidas pelo PT e PCdoB respectivamente, organizem um plano de luta nacional, pois a vida de todos os trabalhadores valem mais do que o lucro das grandes empresas.

Diante do nível de crise no país, é preciso construir também uma forte unidade entre os trabalhadores de diversos ramos, juntamente com os setores oprimidos, mulheres, negros e LGBTs, para derrotar de fato os ataques de Bolsonaro, da extrema direita e de todos os golpistas.

Nós estudantes podemos cumprir um importante papel nessa luta, prestando solidariedade e apoio aos trabalhadores, e nos inspirando nas diversas vezes que essa unidade foi fundamental para a luta, como no histórico Maio de 68 francês, em que estudantes e trabalhadores mostraram na realidade a força que tinham. Fortalecer o combate e lutar pelo nosso direito ao futuro é uma tarefa que se coloca pra já, pois sabemos que a depender desses atores do regime golpista o que está destinado a juventude são profundos ataques a educação e trabalhos cada vez mais precários, como vemos milhares de jovens em estágios precarizados, muitos tendo que trabalhar sendo super explorados pelos aplicativos de entrega ou em telemarketing, uma função majoritariamente composta por mulheres, negros e LGBTs, e que abriu espaço para o restante dos trabalhos precários destinado aos jovens.

Por isso a importância de entidades estudantis como a UNE, dirigida pelo PT, PCdoB e Levante Popular, sair da imobilidade que hoje se encontra e colocar suas forças a serviço de fomentar a luta junto com esses milhares de trabalhadores, assim como é essencial que as Centrais Sindicais construam uma forte luta em diversas categorias para cercar de solidariedade os trabalhadores da Ford, e poder lutar contra esse e todos os outros ataques do governo Bolsonaro e dos golpistas.

TODO APOIO AOS TRABALHADORES DA FORD!

Por essa perspectiva é que colocamos as forças de todas as gestões dirigidas pela Faísca e independentes em todo o país, em defesa da unidade dos estudantes com os trabalhadores, esses que tem a força de parar a produção no sistema capitalista, confiando nas nossas forças e não em acordos com empresas e nem esperanças nas instituições degradadas que já demonstraram inúmeras vezes que não estão ao nosso lado.

Defendemos a luta pela educação, por trabalho digno, efetivação dos trabalhadores terceirizados, e um futuro digno para a juventude e para todos os trabalhadores, demandas que só poderão ser conquistadas por meio da nossa luta autoorganizada nas ruas.




Tópicos relacionados

Fechamento da Ford Brasil   /    Solidariedade com os trabalhadores da Ford   /    Ford   /    FEUSP   /    Caell   /    Universidade   /    Educação   /    USP

Comentários

Comentar