Gênero e sexualidade

UERJ

CASS da UERJ convoca plenária de mulheres: preparar a luta pela legalização do aborto

Plenária está sendo convocada para dia 02 de agosto (quinta feira) para preparar mobilização e a luta das mulheres no ato do dia 08 de agosto que ocorrerá no Rio e em outras cidades pela legalização do aborto.

terça-feira 31 de julho| Edição do dia

No Brasil ocorrem mais de 500 mil abortos clandestinos por ano, 1300 por dia, 57 por hora, quase 1 por minuto. O aborto, mesmo criminalizado e ilegal no Brasil, é uma realidade na vida das mulheres. Uma a cada 5 mulheres aos 40 anos já abortou. 4 mulheres morrem por dia em decorrência de abortos mal sucedidos. A maioria das mulheres que morrem são mulheres trabalhadoras, pobres e negras. Somente no Rio de Janeiro 43 mulheres estão sendo processados por terem recorrido ao procedimento clandestino do aborto.

Na Argentina a luta pela legalização e regulamentação do aborto, que será votado no dia 8 de agosto tem dado um grande exemplo para nós. São as mulheres trabalhadoras, jovens, idosas, donas de casa, desempregadas que tomaram as ruas de seu país exigindo o direito de decidir sobre seu próprio corpo. Ao seu lado estão aqueles que nos apoiam, os nossos amigos, os companheiros de luta, aqueles que estão do nosso lado contra o machismo e o patriarcado. São as "meninas", as "filhas", que aos 12 anos convencem seus pais de que o aborto é uma questão de saúde pública. Com massiva mobilização do movimento de mulheres que há décadas levanta essa pauta, o congresso argentino e o presidente Macri, se viram obrigados a pautar a questão da legalização do aborto. Uma maré de milhares de milhares nas ruas conseguiu a aprovação na Câmara dos Deputados da Argentina numa votação acirrada de uma diferença de apenas 4 votos.

Esta realidade brasileira de milhares de mortes de mulheres por abortos clandestinos, ligada à possibilidade de conquistar essa demanda na Argentina coloca para nós a urgente necessidade de nos apoiarmos no exemplo que vem de lá, para fortalecer a luta pela legalização aqui no Brasil.

Por isso, a partir do CASS, como forma de impulsionar esse debate e essa luta na universidade, chamamos todas as entidades (DCE, Centros Acadêmicos, ASDUERJ, SINTUPERJ), a começar pelo DCE da própria UERJ, dirigido pelo PT, PCdoB e Levante que integram a Marcha Mundial de Mulheres e ainda estão à frente de centros acadêmicos, e os coletivos da universidade para impulsionar, construir e participarem desta plenária de mulheres, que acontece em 02 de agosto e servirá para preparar uma ampla participação no ato de 08 de agosto, junto com nossas irmãs argentinas. O PT nos 13 anos de governo em nada avançou nessa pauta das mulheres. Agora afirma, através do MMM que está a favor da luta pela legalização do aborto. O mínimo que deveria fazer é convocar a plenária e organizar ações de mobilizações em seus locais de trabalho e estudo.

Aqui no Rio de Janeiro em que a esquerda, como o PSOL dirige centros acadêmicos e coletivos de mulheres, e é urgente que se somem a essa iniciativa e estejam tanto na plenária, como no ato do dia 08 de agosto construindo nos cursos e locais de trabalho em que estão uma grande manifestação, que seja capaz de avançar na luta pela legalização do aborto.

Fazemos um chamado especial a cada estudante, as técnicas administrativas, trabalhadoras terceirizadas e professoras para que conjuntamente possamos construir uma forte mobilização na UERJ pela legalização do aborto legal, seguro e gratuito garantido pelo SUS. Esperamos todas no dia 8 de agosto às 18h no Hall do 9 andar.




Tópicos relacionados

Aborto   /    UERJ   /    Direito ao aborto   /    Rio de Janeiro   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar