Mundo Operário

DIA DE MOBILIZAÇÕES

CAMPINA GRANDE (PB): Ato pelo Fora Temer e contra os ataques aos trabalhadores

quinta-feira 22 de setembro| Edição do dia

Depois da mobilização pelo Fora Temer do dia 02 de setembro, que acabou com uma dura repressão policial, como noticiamos nesse jornal um grupo de organizações, sindicatos e partidos passaram a se reunir a fim de seguir mobilizado nessa perspectiva do Fora Temer - Rumo à Greve Geral.

Nesse sentido, se somando à agenda nacional, na cidade de Campina Grande (PB) no dia 22 de setembro houve um ato central que começou na Praça da Bandeira a partir das 15h30min. Durante o ato houve falas de diversos grupos e organizações presentes, entre elas a do Esquerda Diário.

Além da concentração na Praça da Bandeira a mobilização saiu em caminhada pelas ruas do centro da cidade, passando em frente a importantes Bancos em solidariedade aos Bancários em greve, ainda com falas de organizações e sindicatos.

Estima-se que tiveram no ato umas 600 pessoas, que gritavam palavras de ordem contra o governo golpista, entre elas a mais comum “Fora Temer!” e também “Trabalhador, se engane não, o Michel Temer só trabalha para o Patrão”.

Pelo Esquerda Diário participamos desta atividade de forma independente com a distribuição panfletando com uma declaração política com base neste artigo publicado no Jornal.

Gonzalo Rojas, que falou em nome do Esquerda Diário, destacou o caráter da crise orgânica que vivemos, econômica e política. A ideia que o golpe depois do impeachment abriu uma crise política nas ruas, e que o governo golpista institucional para garantir o ajuste e os cortes contra a classe trabalhadores, a juventude e as mulheres tem usado como método a repressão. Depois de realizar uma análise da conjuntura onde destacou os acontecimentos destas últimos duas semanas onde se está tentando lavar a cara do golpe como por exemplo com a cassação de Eduardo Cunha, Carmen Lucia presidindo o Supremo Tribunal Federal entre outras e o judiciário com a operação Lava Jato tentando se mostrar como arbitro na crise política. Concluiu sua fala exigindo a importância de a CUT e a CTB abandonarem sua paralisia e que para o dia 29 de setembro convoquem a Assembleias de Base para poder construir a Greve Geral.

A avaliação é que a ato e a mobilização com bloqueios de ruas pelo centro da cidade foi quantitativamente maior, boa, mas para lutar seriamente pelo “Fora Temer” é preciso avançar na construção da Greve Geral, com assembleias de base nos locais de trabalho, mais além disso é preciso uma saída de fundo, com independência política questionando o conjunto do regime político, por isso desde Esquerda Diário defendemos uma nova Constituinte construída a partir da mobilização que coloque no centro do debate político os verdadeiros problemas da população.




Tópicos relacionados

Campina Grande   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar