Política

DENÚNCIA CONTRA TEMER

Buscando impunidade, Temer revê privatização de Congonhas e exonera oito ministros

sexta-feira 20 de outubro| Edição do dia

Temer está em apuros com a nova denúncia da Procuradoria-Geral da República na Câmara dos Deputados, somente ontem tomou duas importantes medidas para garantir votos à seu favor: prometeu retirar o aeroporto de Congonhas da lista de privatizações e exonerou 8 ministros que têm mandatos como deputados federais.

Costa Neto, ex-deputado federal condenado no mensalão e antigo presidente do PR, recebeu ontem a promessa de Temer de que retiraria da lista de privatizações o aeroporto de Congonhas, este exerce influência sob 37 deputados do seu partido e tem poder de pressão no setor de transportes.

O Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira, 20, confirmou a exoneração de mais oito ministros dentro da estratégia do Palácio do Planalto de reforçar o placar a favor do presidente Michel Temer na votação da denúncia contra ele no plenário da Câmara. Os titulares exonerados têm mandato de deputado federal e ficarão licenciados dos ministérios até a quarta-feira, 25, quando ocorrerá a sessão da votação.

Foram exonerados hoje: Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo); Mendonça Filho (Educação); Bruno Araújo (Cidades); Leonardo Picciani (Esporte); José Sarney Filho (Meio Ambiente); Ronaldo Nogueira (Trabalho); Marx Beltrão (Turismo); e Maurício Quintella (Transportes).

Nos dias anteriores, o governo já havia exonerado Fernando Coelho Filho do comando de Minas e Energia e Raul Jungmann da Defesa. Jungmann, no entanto, já retornou ao posto no Executivo. Sua nomeação ao cargo está publicada na edição de hoje do Diário Oficial.

Temer faz malabarismos e promessas para salvar sua pele e continuar aplicando no país suas reacionárias reformas como a Trabalhista e a da Previdência que está na sua mira. Frente à sua baixíssima aprovação e a falta de confiança da população às instituições de conjunto, é necessário retomar o caminho da luta e junto a isso apoiar com muita força a greve dos trabalhadores municipais, professores e motoristas de ônibus no Rio Grande do Sul que seguem firmes na luta contra os ajustes e hoje mostram o caminho para fazer valer a vontade da população que não aguenta mais pagar as contas da crise e ver a completa impunidade de seus mandatários.

foto Christopher Goodney/Bloomberg/Bloomberg




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Michel Temer   /    Política

Comentários

Comentar