Política

BRUNO COVAS EM SP

Bruno Covas é responsável por aumento de quase 300% nas filas de espera de creches em SP

Fila de espera por vagas em creches municipais na cidade de São Paulo teve o aumento extraordinário de 282% entre o início do ano e setembro. Enquanto isso, Covas privatiza creches que são acusadas até mesmo de roubar comida das crianças.

terça-feira 15 de outubro| Edição do dia

Fila de espera por vagas em creches municipais na cidade de São Paulo teve o aumento extraordinário de 282% entre o início do ano e setembro. No fim do mês passado, 75.267 crianças aguardavam ser chamadas. Em dezembro do ano passado, o número de crianças na fila de espera era de 19.679.

O crescimento das vagas é o menor desde 2014: este ano a oferta de vagas em creches cresceu miseráveis 0,92%, se materialziando em somente 3.100 vagas criadas.

Bruno Covas (PSDB), atual prefeito da cidade de São Paulo, e herdeiro do projeto de governo de João Doria, que hoje assume o governo do estado, é criar 85,5 mil novas matrículas até o fim de 2020.

Para que esta meta fosse cumprida, a prefeitura precisaria abrir aproximadamente 74 vagas por dia até o fim do próximo ano.

Enquanto isso, mães e pais continuam na luta para conseguir colocar seus filhos em creches, dependendo muitas vezes do serviço como alternativa para que possam trabalhar. Um dos exemplos da situação calamitosa que atravessa a vida de milhares de mães é o de Valdineia dos Santos que busca desesperadamente por uma vaga para seu filho de 5 meses.

"É um problema, pois minha licença termina na semana que vem e eu preciso trabalhar, se não conseguir a vaga vou ter de deixá-lo com a minha mãe", diz Valdineia.

Bruno Covas carrega o legado de Doria e Alckmin, verdadeiros inimigos da educação em São Paulo. Um dos projetos recentemente aprovados por Covas é o "homeschooling", prática que autoriza que pais ou tutores assumam o processo de aprendizagem das crianças.

Este projeto que é a cara da extrema-direita reacionária que se esconde atrás do discurso de defesa da autonomia dos pais, quando na realidade o verdadeiro interesse reside em fomentar os monopólios do ensino privado e garantir o controle ainda maior da família sobre todas as dimensões da socialização das crianças e dos jovens.

Além disso, Covas avança também com a privatização das creches, como parte deste projeto de destruição dos serviços públicos, e empresas que gerem creches terceirizadas que funcionam com financiamento público da prefeitura são suspeitas de desviar verbas e comida que deveriam ir para as crianças. Está é a face mais cruel e absurda da política que quer levar Covas e seus aliados.

Saiba mais: Creches terceirizadas pela prefeitura de São Paulo roubam até a comida das crianças

Os ataques aos serviços públicos, como as creches, é uma das expressões machistas destes governos que querem acabar com questões fundamentais para os trabalhadoers, em especial as mulheres trabalhadoras, que dependem fundamentalmente deste tipo de serviço para trabalharem.

É necessário que as mulheres, ao lado dos trabalhadores, encabecem a luta contra as políticas de ajustes e ataques que precarizam ainda mais as condições de vida, colocando como parte essencial a garantia de direitos às mulheres e mães, como as creches.




Tópicos relacionados

Bruno Covas   /    luta por creches   /    São Paulo   /    Política

Comentários

Comentar