VIOLÊNCIA POLICIAL - RIO

Bope mata duas pessoas e deixa feridos na Cidade de Deus

Operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) nesta segunda-feira estaria checando denúncia sobre armas e teria apreendido um fuzil e duas pistolas, que custaram a vida de dois homens e feriram seis, entre eles uma idosa e um gari.

segunda-feira 10 de julho| Edição do dia

* Com informações da Agência Brasil e do jornal O Globo

Os moradores da Cidade de Deus amanheceram nesta segunda-feira com o barulho dos tiroteios, já que a operação se iniciou as 4h30 da madrugada. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, 3.314 crianças ficam sem aula.

De acordo com informe oficial da operação, a Unidade de Engenharia, Transporte e Demolição do Bope derrubou três casamatas usadas pelo tráfico, desobstruiu 12 ruas que não davam passagem para carros, devido à colocação de trilhos de trem nas vias, além de retirar quase 5 toneladas de entulho.

Ainda segundo o balanço da corporação, um homem armado com fuzil morreu no Hospital Municipal Lourenço Jorge após ser baleado em confronto com os militares. Outro, identificado como Felipe, morreu em uma das ruas da comunidade. A PM apreendeu um fuzil automático, duas pistolas e alguma quantidade de maconha, cocaína e crack.

De acordo com informações divulgadas pelo jornal O Globo, a prima de Felipe denunciou que a família foi impedida de retirar o corpo do familiar assassinado.

Para a PM, os mortos e feridos são apenas “suspeitos” como se por essa definição já pudesse taxa-los de condenados à morte. Quanto aos dois idosos baleados, nada foi dito. Os dois moradores feridos por balas perdidas foram Elydia Roberta de Ramos, 82 anos, que levou um tiro nas costas e está em estado grave, porém estável. O gari comunitário Sebastião Soares de Melo, de 64 anos, foi atingido por um tiro no quadril e está em observação no mesmo hospital, para onde foram levados os outros feridos.

Na parte da tarde foram registrados protestos e manifestações de moradores contra a violência policial. Além disso, avenidas importantes da região foram interditadas, linhas de ônibus deixaram de atender a região e o comércio permaneceu fechado.

Como o Esquerda Diário vem noticiando, a violência policial [link: http://www.esquerdadiario.com.br/Violencia-policial ] tem sido crescente no Rio de Janeiro, e notícias como essa são cotidianas, com novas vítimas de “balas perdidas” toda semana.




Comentários

Comentar