Política

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Bolsonaro quer aumentar idade mínima para servidores se aposentar e já começar os ataques

O recém eleito presidente reacionário Jair Bolsonaro (PSL) disse em uma entrevista a TV Aparecida, que irá trabalhar para aprovar “alguma coisa” da Reforma da Previdência ainda este ano. O presidente de extrema direita, deseja que ainda este ano seja aprovado a mudança da fixação da idade mínima para servidores públicos ainda este ano e já ir adiantando um dos ataques aos trabalhadores, dessa perversa Reforma da Previdência.

segunda-feira 5 de novembro| Edição do dia

O recém eleito presidente reacionário Jair Bolsonaro (PSL) disse em uma entrevista a TV Aparecida, que irá trabalhar para aprovar “alguma coisa” da Reforma da Previdência ainda este ano. O presidente de extrema direita, deseja que ainda este ano seja aprovado a mudança da fixação da idade mínima para servidores públicos ainda este ano e já ir adiantando um dos ataques aos trabalhadores, dessa perversa Reforma da Previdência.

Bolsonaro disse na entrevista que foi realizada na quinta-feira (01) que querem “dar um passo, por menor que seja, mas dar um passo na reforma da Previdência”. O presidente eleito, disse que ao menos deseja alterar o ponto das idades mínimas para os servidores que é diferente que está no projeto de Temer. 56 anos para as mulheres e 61 anos para os homens, querendo já aumentar gradativamente a ìdade mínima para se aposentar. O que na proposta do atual presidente Michel Temer é aumentar a idade mínima para 62 anos as mulheres, e 65 para os homens, tanto do setor público e privado, e esse projeto já está sendo tramitado na Câmara dos Deputados.

A proposta de reforma de Bolsonaro que foi feita pelo economista Armínio Fraga, apresenta uma versão em que se incorpora a idade mínima de 65 anos para ambos os sexos, mas o que Bolsonaro está apresentando é tentar de forma gradativa e já conseguir algum ajuste esse ano em atacar os direitos dos trabalhadores. Antes que toda a Reforma seja aprovada e aplicada.

Ainda na proposta escrita pelo Armínio Fraga, ele coloca em ter uma renda mínima para idosos, sem limite de contribuição ou comprovação de renda, mas que não chega sequer ao miserável valor de um salário mínimo (R$957,80, em 2018). O valor que está estipulado na proposta dele é de um verdadeiro salário de fome: 70% do salário mínimo, o que hoje, por exemplo, seriam no máximo R$668.

Essa reforma com a qual tanto sonham Bolsonaro e os patrões precisa ser combatida através da mobilização dos trabalhadores. A CUT e a CTB, que assistiram imóveis uma série de outros ataques, como a reforma trabalhista e a lei da terceirização, precisam romper com essa paralisia e organizar os trabalhadores. É necessário construir milhares de comitês de luta por todo país, para que com a classe trabalhadora organizada nas ruas, seja possível lutar contra Bolsonaro, contra o golpismo, contra os ajustes e reformas.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Reforma da Previdência   /    Política

Comentários

Comentar