Política

BOLSONARO

Bolsonaro quebra rito e diz que pedido para Eduardo ser embaixador já está nos EUA

Bolsonaro quebrou rito diplomático, tamanha sua confiança que Eduardo se mude para os EUA. O costume indica que os papéis fiquem em sigilo até que o governo do país de destino do candidato a embaixador aceite a indicação.

sexta-feira 26 de julho| Edição do dia

Imagem: SERGIO LIMA/ GETTY IMAGES

Na manhã desta sexta-feira, 26 de julho, Jair Bolsonaro informou ter pedido o agrément — uma espécie de sinal verde — ao governo americano. Segundo o presidente, a formalização da consulta aos Estados Unidos foi acertada diretamente com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, confirmou o pedido e disse que tem a "grande certeza" de que Eduardo Bolsonaro será aprovado: "Foi pedido o agrément e esperamos a resposta americana, de acordo com a praxe diplomática. Eduardo Bolsonaro será um ótimo embaixador".

No dia 19 de julho, Bolsonaro afirmou "Pretendo beneficiar meu filho, sim. Se eu puder dar um filé filé-mignon ao meu filho, eu vou dar, sim", após indicar seu filho, Eduardo Bolsonaro, a embaixador dos Estados Unidos. A declaração demonstrou que sua política facilista de acessos dos seus parentes aos altos cargos da política para submeter o país ao capital estrangeiro enquanto planeja para a população um futuro de trabalho até a morte com a reforma da previdência.

Por considerar que o nome de seu filho já está praticamente aprovado pela Casa Branca, o presidente acabou quebrando o rito diplomático, que em geral deixa em sigilo a nomeação até a aprovação do país de destino do candidato, ao se antecipar e dizer que a consulta já foi feita.

Bolsonaro na sua campanha eleitoral colocava que não iria indicar ou colocar os filhos em cargos públicos altos, por terem um pai presidente. Mais uma vez seu governo entra em contradições com métodos da "velha política" que ele tanto afirmou que iria combater. Além disso, é o primeiro a impulsionar uma política totalmente submissa aos interesses imperialistas, que querem rifar ao máximo o futuro do povo pobre. Alguns diplomatas mais experientes apontam também a pouca experiência do filho do presidente , que completou 35 anos recentemente.

Segundo O Globo, até cerca de duas semanas, o nome mais cotado para assumir a vaga em Washington era o de Nestor Fórster , número dois da embaixada brasileira em Washington. Foi Forster quem apresentou o atual chanceler, Ernesto Araújo, ao ideólogo de direita e guru do bolsonarismo Olavo de Carvalho.

Esse governo de extrema direita cada vez mais escancara que em meio à crise, existem dois lados: o dos que vão continuar lucrando, os grandes empresarios, patrões e membros da casta política, e os trabalhadores e a juventude pobre, os quais estão sofrendo com a reforma trabalhista que os jogou diretamente no trabalho precário como rappi e ifood, e que serão os mais afetados com a nefasta reforma da previdência. Apenas com a união da força dos de baixo será possível superar esse futuro de miséria que os capitalistas nos reservam.




Tópicos relacionados

Encontro Trump e Bolsonaro   /    Eduardo Bolsonaro   /    Governo Bolsonaro   /    Jair Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar