AUTORITARISMO JUDICIAL

Bolsonaro pode indicar Bretas para tribunal superior, segundo assessores

Na semana passada Flávio Bolsonaro se reuniu com o juiz da Lava-Jato no Rio de Janeiro. Segundo fontes do GLOBO Jair Bolsonaro pode indicar Bretas para um tribunal superior. Sendo ou o Superior Tribunal de Justiça (STJ), bem como para o Supremo Tribunal Federal (STF). Caso ocorra, a indicação mostra mais um avanço do autoritarismo judicial que favoreceu Bolsonaro a se eleger e agora cobra seus favores.

sexta-feira 30 de novembro| Edição do dia

Bretas foi o juiz que no início desse ano acumulava, junto à sua esposa também juíza, benefícios de quase 9 mil reais que é proibido pelo Conselho Nacional de Justiça. Com super salário, Bretas foi o juiz da Lava-Jato no RJ, assim chamado como o “Moro do Rio de Janeiro”. O aproximando do Juiz que prendeu Lula e agora é presenteado por Bolsonaro com um Superministério da Justiça. Bretas também aplaudiu a ameaça do General Villas Boas, antes do julgamento do Habeas Corpus de Lula.

Esse juiz pode ser chamado por Bolsonaro para encabeçar mais um posto importante em seu governo, reforçando os traços do autoritarismo judicial no regime atual, deixando Bolsonaro ainda mais blindado para desferir ataques como a reforma da previdência e o escola sem partido.

O PT aposta nesse mesmo STF de Dias Toffoli (que tem um general como assessor) para se contrapor à Bolsonaro, querendo que a população amargure as reformas para voltar em 2022. Haddad em entrevista recente disse que confiava no STF para barrar o projeto do Escola sem Partido. Aqui denunciamos tal atitude do Partido dos Trabalhadores, e dizemos que só com a força dos trabalhadores e a juventude se pode derrotar Bolsonaro e o autoritarismo judicial.




Tópicos relacionados

Bolsonaro   /    Escola sem partido   /    Poder Judiciário

Comentários

Comentar