Política

IMPERIALISMO

Bolsonaro, lambe-botas de Trump, está calado sobre o assassinato de iranianos

Bolsonaro já bateu continência à bandeira ianque, e nunca escondeu sua admiração por Trump, mesmo quando ele destrata o Brasil. Agora está caladinho diante do assassinato de iranianos cometidos no Iraque.

sexta-feira 3 de janeiro| Edição do dia

Passadas várias horas da agressão imperialista dos EUA no Iraque, matando diversas pessoas, entre elas o general comandante da Guarda Revolucionária Iraniana, Bolsonaro está calado, reuniu-se com o general Heleno e anunciou que a gasolina vai subir só isso. Um silêncio que é mais uma vez muito eloquente de seu caráter de lambe-botas do imperialismo.

Saiba mais sobre a agressão imperialista no Iraque lendo: Estados Unidos assassina chefe do alto comando militar iraniano em Bagdá

Bolsonaro fez campanha saudando a bandeira americana, bateu continência a oficial de segundo escalão americano antes de sua posse, e sempre elogia Trump, mesmo quando esse ataque interesses brasileiros, por exemplo quando impõe tarifas ao Brasil.

Bolsonaro não esconde seu interesse de girar fortemente a política externa brasileira para que esta seja pró-sionista e não somente pró-americana, como pró-Trump, isto ficou bastante evidente no papel de seu governo em apoio a tentativa de golpe na Venezuela e no ativo papel de sustentáculo e incentivador da extrema direita religiosa e racista na Bolívia. Também ficou claro como o Brasil tenta subsidiar ações ianques contra o Irã.

Uma das medidas tomadas pelo ultradireitista brasileiro foi de impedir que empresas iranianas sancionadas por Trump façam comércio com o Brasil, esse incidente levou a diversas ações judiciais e até mesmo a Lava Jato a intervir no judiciário contra Bolsonaro para que as exportações paranaenses de milho para o país pérsico não fossem afetadas. Porém a submissão aos EUA vai além dos arroubos trompistas de Bolsonaro, envolvendo a privatização de todo petróleo nacional, entrega da Embraer, e múltiplos outros interesses americanos. Nesta empreitada Bolsonaro não caminha só, conta com o aplauso de toda grande mídia brasileira, do “centrão”, do STF e dos tucanos, e no caso da entrega da base aérea de Alcântara contou até mesmo com o voto favorável do PCdoB.

A submissão brasileira aos EUA, interesse partilhado por toda burguesia nacional, ganha aromas mais funestos sob Bolsonaro onde não somente as riquezas nacionais são entregues, como nacos inteiros do território nacional – como Alcântara – são subtraídos e alcança o ruidoso silêncio cúmplice diante do assassinato de iranianos por misseis imperialistas.

A necessária orientação anti-imperialista por parte da juventude, dos trabalhadores, da esquerda perpassa lutar pelo fim da subordinação das nações econômica, política e militarmente às potências imperialistas, inclui expropriar as empresas imperialistas saqueadoras nos países, mas também o combate a seu lambe-botas, como Bolsonaro, mas também a falsos nacionalistas, tais como os do PT e PCdoB, que falam em soberania nacional mas apoiam a entrega de Alcântara ou os leilões do petróleo brasileiro desde que os estados do nordeste recebam uma fatia dos recursos que foram prometidos se seus governos apoiassem a nefasta reforma da previdência.

O ataque americano no Iraque causa imediato repúdio e apreensão mundial e mais uma vez renova a necessidade do desenvolvimento da luta anti-imperialista no Brasil e no mundo.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Donald Trump   /    Política

Comentários

Comentar