Política

ELEIÇÕES 2018

Bolsonaro fez reunião secreta com embaixador dos EUA para se aproximar de Trump

“Privatizações, concessões e desmobilizações. Tinha que vender tudo” disse Paulo Guedes, banqueiro e economista de Bolsonaro.

sexta-feira 13 de julho| Edição do dia

Imagem: Conexão Politica/ Reprodução

Em mais uma de suas investidas para se aproximar de Donald Trump, Jair Bolsonaro pré candidato à presidência da República pelo PSL teve uma reunião secreta com o embaixador dos Estados Unidos, Peter Michael McKinley. O encontro ocorreu há menos de duas semanas segundo informações da Folha de São Paulo, que procurou a embaixada americana que por sua vez, informou que respeita a “independência do processo eleitoral” e que está se reunindo com os principais presidenciáveis do país. Não especificaram no entanto, quais são os outros candidatos que teria recebido.

A movimentação para se aproximar cada vez mais de Donald Trump faz parte de seu projeto reacionário. Já está bem clara a prioridade em garantir que o Brasil continue na posição de total submissão aos ditames imperialistas.

Mais uma prova disso é a escolha de Paulo Guedes como coordenador econômico. Paulo Guedes defende privatizações irrestritas para quitação da dívida pública brasileira. Isso obviamente é exatamente o que os investidores americanos querem ouvir, para que se abra ainda mais o caminho das privatizações, por exemplo. Guedes escancara tal posição, afirmando: “Privatizações, concessões e desmobilizações. Tinha que vender tudo”.

Assim, cada vez mais fica evidente a farsa do discurso nacionalista que Bolsonaro propaga . Na verdade , o pré candidato já deixou escancarado o objetivo de rifar nossas riquezas, entregando a Petrobrás ao capital estrangeiro e a Amazônia para exploração comercial. Apoia o agronegócio e as reformas , que atacam diretamente a classe trabalhadora.




Tópicos relacionados

Imperialismo   /    Eleições 2018   /    Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar