Política

GOVERNO BOLSONARO

Bolsonaro escancara submissão ao imperialismo e entrega base de Alcântara aos EUA

Com as negociações já concluídas, resta Bolsonaro e Trump formalizarem assinando o acordo, o que pretendem fazer no encontro que terão na Casa Branca, em Washington, no próximo dia 19.

terça-feira 12 de março| Edição do dia

Desde 2000, quando o governo Fernando Henrique Cardoso assinou o acordo, posteriormente rejeitado pelo Congresso Nacional, a base de Alcântara está na mira do imperialismo. E agora, em mais uma comprovação de submissão ao ditames de Trump, Bolsonaro dá mais um passo - e bem largo - em sua política entreguista.

Na semana passada foram concluídas as negociações do novo Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST), que permite o uso comercial da base de Alcântara, no Maranhão.

Além do absurdo de prever proteção de conteúdo com tecnologia americana usado no lançamento de foguetes e mísseis a partir da base de Alcântara o texto também é um acordo de não proliferação de tecnologias de uso dual – quando as tecnologias podem ser usadas tanto para fins civis como militares, caso do lançamento de mísseis.

Além disso, escancaram-se as portas para uma série de “parcerias” empresariais no setor, ampliando os projetos brutais de privatizações e terceirizações, que fazem decolar as demissões e a precarização dos postos de trabalho, acentuando ainda mais o que já foi iniciado desde o golpismo e a reforma trabalhista.

“Os americanos terão acesso ao espaço em que estará essa tecnologia mas isso não quer dizer que não teremos qualquer avaliação sobre as pessoas que entram, tudo será decidido de comum acordo”, afirma o embaixador do Brasil nos EUA, Sérgio Amaral, visando inutilmente mascarar o quanto tal medida coloca o Brasil à mercê dos interesses e ditames imperialistas.

O embaixador afirmou ainda : “É uma parceria com os Estados Unidos na exploração comercial do centro espacial de Alcântara.” Em razão de sua localização geográfica, é possível economizar até 30% no combustível para lançamento de satélites a partir de Alcântara, ou seja: lucro para os capitalistas.

Contra o entreguismo de Bolsonaro, que alinhado a Trump deseja submeter integralmente o país aos interesses imperialistas estadunidense, é necessário que se erga uma voz anti-imperialista da classe trabalhadora. Em cada local de trabalho , mulheres , jovens, LGBTS, negros e todos os trabalhadores devem exigir que as centrais sindicais organizem comitês de luta contra os retrocessos do governo Bolsonaaro. Para que, assim, tecnologia e ciência estejam sob controle popular e suas descobertas sejam revertidas para melhorar as condições de vida da população e não mais para saciar a sede de lucro dos golpistas e capitalistas capachos do imperialismo.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Imperialismo   /    Bolsonaro   /    Donald Trump   /    Política

Comentários

Comentar