COTAS RACIAIS

Bolsonaro esbraveja contra as cotas raciais e outra vez escancara racismo

Contrariando milhões de negros e negras e toda a esquerda democrática, o reacionário Jair Bolsonaro se coloca contra as cotas raciais alegando que este "favorece o filho de negro bem de vida", mostrando que não entende nada sobre a realidade da educação no Brasil.

terça-feira 28 de agosto| Edição do dia

O reacionário, em ato de campanha no Rio, afirmou que defende mudanças no sistema de cotas para negros em universidades e concursos. Sua proposta é extinguir as cotas raciais e, desta forma, se coloca no objetivo de dificultar ainda mais o ingresso de negras e negros nas universidades e concursos públicos.

O discurso de que a implementação de cotas raciais deve ser substituídas pelas cotas apenas sociais para impedir que entrem nas universidades e concursos apenas os "negros filhos de ricos" é um de seus principais fundamentos. "Eu sou contra a forma de cotas que está aí, que prejudica o próprio nero. Você bota cota para negros, a princípio quais negros têm mais facilidade de passar em concurso ou então ser admitido em vestibular" O negro filho de negro bem de vida. A minha cota é social, eu defendo a cota social. A racial, não."

Essa visão superficial e unilateral não deixa exposta qual é a mínima e insignificante porcentagem de quantos negros são advindos de família rica no Brasil - uma minoria incomparável ao número de negros de famílias pobres e miseráveis.
Sua política superficial e racista se pauta pela exclusão das cotas raciais baseadas nesta porcentagem minúscula de negros advindos de famílias ricas e deixa na mão milhões de negros e negras que mesmo em 2018 seguem sem acesso à educação de qualidade no Brasil, muitas vezes relegados ao mundo do desemprego e da marginalização social.

A separação da discussão social e racial no debate de cotas ignora as raízes históricas da formação da sociedade brasileira e do papel do negro na formação e na criação das estruturas econômicas do país, na qual o debate sobre desigualdade social está intrinsecamente ligado ao debate racial, e qualquer medida que coloque os negros de maneira apartada ou secundarizada deste debate significa seguir impondo que os negros sejam impedidos de possuir direitos plenos.
As cotas sociais são importantes, não apartá-las das cotas raciais significa abrir uma fissura na garantia de que negros e negras ocupem estes espaços nas universidades e concursos.

As cotas raciais não promovem reversão dos séculos de exploração e escravização, mas são um importante passo no sentido de oferecer educação e emprego aos negros e negras. É por isso que a luta pelas cotas raciais deve ser junto da luta pelo fim do vestibular e pela estatização de todo o sistema de ensino brasileiro, também acabando com o pagamento da dívida pública que compromete todas as riquezas do país.




Tópicos relacionados

negras e negros   /    Eleições 2018   /    Bolsonaro   /    Racismo   /    Movimento Negro

Comentários

Comentar