Bolsonaro é julgado hoje no STF por discurso de ódio

Hoje, terça-feira, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal retoma o julgamento ao candidato à presidência Jair Bolsonaro, acusado por promover discurso de ódio contra quilombolas, indígenas, refugiados, mulheres e LGBT’s.

terça-feira 11 de setembro| Edição do dia

O julgamento foi iniciado no dia 28 de agosto, quando foi interrompido por Alexandre de Moraes com um pedido de vista. O candidato está sendo acusado pela Procuradoria-Geral da República após uma palestra dada por ele no Clube Hebraica. Na ocasião, o deputado fez comentários a quilombolas como se se tratasse de animais, usando inclusive a medida de arroba, usada para gado, para se referir aos moradores do quilombo que visitou.

Apesar do racismo deliberadamente expresso em suas declarações, no começo da votação os ministros Marco Aurélio e Luiz Fux tiveram o cinismo de consider que as falas do deputado se encaixam no contexto de “liberdade de expressão” e assim rejeitaram a denúncia.

Se a denúncia for aceita, Bolsonaro se tornará réu pela terceira vez no STF, onde já responde por injúria e incitação ao estupro por conta de suas declarações para Maria do Rosário, deputada pelo PT-RS.

Sabemos que o STF não quer e não vai combater nenhum tipo de política que vá contra setores oprimidos e explorados; pelo contrário: atua abertamente e todos os dias em defesa de determinados setores patronais para favorecê-los e proporcionar melhores condições de seguir implementando ataques aos trabalhadores e a todos os setores oprimidos.




Tópicos relacionados

PSL   /    Racismo   /    negras e negros   /    Bolsonaro   /    STF

Comentários

Comentar