Política

BOLÍVIA

Bolsonaro e igrejas brasileiras são citadas como apoio ao golpe de Estado na Bolívia

Áudios revelados pelo jornal boliviano El Periódico mostram a articulação do governo Bolsonaro com a oposição direitista boliviana para a derrubada do governo de Evo Morales, como se consumou o golpe hoje, após as Forças Armadas exigirem a renúncia do presidente.

domingo 10 de novembro| Edição do dia

Reportagem do jornal boliviano El Periódico tornou públicos áudios trocados entre a oposição direitista boliviana, onde afirmam que sua atuação golpista tem o apoio do presidente brasileiro Jair Bolsonaro (PSL) e das igrejas brasileiras também.

Há menos de uma hora, Evo Morales e seu vice, Álvaro García Linera, renunciaram, após coletiva de imprensa das Forças Armadas onde legitimavam o golpe civil policial e agora também militar e exigiam renúncia do presidente, após semanas de conflitos que começaram na noite da última eleição, no dia 20 de outubro.

Nos áudios também se falava de um “homem de confiança de Jair Bolsonaro, que assessora o candidato presidencial”. São desconhecidas maiores informações, mas não surpreende visto que Bolsonaro é representante dos interesses de Trump na América Latina e já havia apoiado a tentativa de golpe de Juan Guaidó na Venezuela.

Os áudios revelados pelo jornal boliviano também denunciam o envolvimento estadunidense, diretamente de políticos republicanos, como o senador Ted Cruz, como também de Israel.

Além disso, as pautas que leva adiante Macho Camacho, porta-voz da reunião de Santa Cruz que hoje foi ao Palácio de Governo armado de uma bíblia condizem com o reacionarismo de Bolsonaro, inclusive no que tange o racismo.

Leia mais: Bolívia: Abaixo o golpe de Estado da polícia e da direita, apoiado pelas Forças Armadas!




Tópicos relacionados

Golpe de Estado Bolívia   /    Evo Morales   /    Política   /    Internacional

Comentários

Comentar