Política

TRANSIÇÃO TEMER-BOLSONARO

Bolsonaro confirma permanência de ministro de Temer na CGU

Wagner Rosário atual ministro da Transparência e da CGU seguirá no cargo no governo Bolsonaro. A pasta era cogitada pela equipe de Bolsonaro para ser extinta.

terça-feira 20 de novembro| Edição do dia

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, anunciou na manhã desta terça-feira, 20, que manterá no cargo o atual ministro da Transparência e Controladoria-Geral da República (CGU), Wagner Rosário. O nome foi confirmado por Bolsonaro pelo seu Twitter durante encontro com Rosário na Base Aérea de Brasília.

A pasta que antes era cogitada pela equipe de Bolsonaro para ser extinta e submetida ao Ministério de Justiça no comando de Sérgio Moro, o que gerou uma repercussão negativa por se tratar de uma pasta com função de auditoria e combate à corrupção, ironicamente um dos eixos de campanha do candidato. Bolsonaro teve de frear em sua pretensão de dar ainda mais plenos poderes a Moro.

"Informo a indicação do Senhor Wagner de Campos Rosário como Ministro da Controladoria Geral da União. Bom dia a todos!", escreveu Bolsonaro por volta das 9h. Até o momento, Rosário é o primeiro nome do primeiro escalão de Michel Temer a ser anunciado como integrante do novo governo. A permanência de Rosário à frente da CGU não foi exatamente uma surpresa para a corporação. Havia expectativa que ele permanecesse, pelo fato de ser militar.

Natural de Juiz de Fora (MG), Wagner Rosário tornou-se o primeiro servidor de carreira da CGU a assumir o cargo de secretário-executivo e ministro da Pasta. Ele assumiu o cargo em 13 de junho deste ano.

Graduado em Ciências Militares pela Academia das Agulhas Negras e mestre em Combate à Corrupção e Estado de Direito pela Universidade de Salamanca, na Espanha, também já atuou como oficial do Exército.

Com informações Agência Estado




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar