Política

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Bolsonaro compra votos no Senado para a nomeação de Eduardo e votação da Reforma da Previdência

Está nas mãos de Bolsonaro a indicação de quatro nomes para o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Ele cedeu a escolha de dois conselheiros para Davi Alcolumbre (DEM), presidente do Senado, às vésperas da nomeação de Eduardo Bolsonaro para embaixador nos EUA, que vai passar por sabatina de apreciação no Congresso, e a votação da reforma da previdência na casa.

terça-feira 6 de agosto| Edição do dia

Guedes e Moro já haviam colocado indicações de nomes para o Cade, em maio. Mas agora Bolsonaro abriu prontamente uma via de diálogo ao propor que Alcolumbre possa dar duas indicações, ou seja, assume o comando para acelerar as votações.

Além de admitir abertamente que a intenção da nomeação é o favorecimento de seu filho, Bolsonaro também deseja com isso, aumentar o servilismo ao imperialismo dos EUA e facilitar comunicação com Trump, colocando na embaixada outro capacho direto do reacionáro presidente norte-americano.

Já a Reforma da Previdência, ainda falta aprovação em segundo turno na Câmara dos Deputados e duas votações no Senado. Só que a intenção do governo é fazer todos esses trâmites no prazo de 60 dias.

Se a mera aprovação da "Nova Previdência" em primeiro turno, já fez os capitalistas esfregarem as mãos, fazendo a bolsa subir e o dólar cair, a aprovação definitiva e rápida da mãe de todas as reformas continua como objetivo central do governo. Que não pretende poupar recursos para encaminhá-la, assim como foi sua tramitação na Câmara, com a abertura da torneira de emendas para os parlamentares, R$ 40 milhões foram prometidos aos deputados que votassem favoravelmente á reforma.

Essa aceleração de Bolsonaro quer facilitar a obtenção de lucros dos empresários às custas de vida de milhões de trabalhadores, assim como abrir espaço para o aprofundamento ainda mais dos ataques, como a privatização de estatais e a retomada do Pacote Anti Crime de Moro.




Tópicos relacionados

Davi Alcolumbre   /    Eduardo Bolsonaro   /    Reforma da Previdência   /    Política

Comentários

Comentar