Política

PRIVATIZAÇÃO

Bolsonaro autoriza venda da Embraer para o imperialismo norte-americano

Temer deixou como legado o projeto de rifar a Embraer ao imperialismo e assim o fez o "pseudo-nacionalista" Bolsonaro.

quinta-feira 10 de janeiro| Edição do dia

Imagem: Youtube/ Reprodução

Hoje, dia 10 de janeiro, Jair Bolsonaro anunciou não exercer o direito de veto do governo pela "golden share" para barrar o negócio envolvendo a Boeing e a Embraer que rifa a empresa brasileira para fazer parte da gigante norte-americana.

O assunto foi tratado na cúpula reacionária de Bolsonaro que se diz nacionalista mas pretende leiloar todas as riquezas nacionais brasileira. Se reuniram os ministros da Defesa, Fernando Azevedo; do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno; das Relações Exteriores, Ernesto Araújo; da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, e representantes do Ministério da Economia e dos Comandos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica. A Boeing terá participação de 80% na nova empresa e a Embraer, os 20% restantes.

A venda da Embraer se trata de um enorme ataque a soberania nacional em favor de grandes monopólios capitalistas que querem descarregar a crise nas costas da classe trabalhadora. Milhares de empregos serão perdidos e os trabalhadores de aeroportos sofrerão diretamente com a privatização, além de toda a população brasileira que perde parte de sua soberania nacional com a venda da empresa a preço de banana.




Tópicos relacionados

embraer   /    Bolsonaro   /    Aeroviários   /    Privatização   /    Política

Comentários

Comentar