Política

ELEIÇÕES

Bolsonaro ataca os direitos das mulheres para melhor defender os patrões

Bolsonaro é um violento inimigo dos direitos das mulheres. Reu por incitação ao estupro, suas posições agressivas e discriminatórias não são produto de uma mente doentia. São a consequência de um programa político para tentar calar a voz das mulheres e assim melhorar as condições de exploração capitalista no país.

Diana Assunção

São Paulo | @dianaassuncaoED

segunda-feira 27 de agosto| Edição do dia

Bolsonaro diz com todas as letras neste vídeo que é justificável que os empresários paguem menos às mulheres que aos homens porque engravidamos. No mesmo vídeo ele defende que não existam direitos trabalhistas para as empregadas domésticas. E não à toa ele também votou a favor da reforma trabalhista de Temer, que joga mulheres grávidas e lactante em trabalhos insalubres. Os ataques aos direitos trabalhistas das mulheres são parte do programa dele, quer extinguir o Ministério Público do Trabalho e para criar contratos sem a CLT afinal, como diz ele e todos bilionários no país "melhor menos direitos e algum trabalho, do que todos direitos e nenhum trabalho."

Para garantir essas terríveis condições de trabalho às mulheres ele ataca as mulheres que lutam pelo direito ao aborto e é a favor da censura nas escolas, defendendo o reacionário Escola sem Partido e a proibição de educação sexual. Isso em um país onde centenas de LGBTs morrem por ser LGBTs e milhares de mulheres morrem em feminicídios.

Junto das igrejas, de Daciolo e todos partidos da ordem ele é um inimigo ao direito ao aborto O aborto clandestino mata 4 mulheres por dia, mas pouco lhes importa, melhor que morramos já que como diz Bolsonaro as filhas são “fraquejadas” dos maridos.

Para derrotar essa direita reacionária precisamos de uma forte voz da luta das mulheres, que defenda o direito ao aborto e cada reivindicação do movimento de mulheres e que diga que nossa força pode ir por mais, podemos lutar contra os ataques dos golpistas e dos patrões, podemos nos enfrentar com os capitalistas.

O PT governou por 13 anos e não mudou nada dessa realidade. Não colocou em votação nenhum projeto de legalização do aborto, pelo contrário Dilma fez uma carta às igrejas protestantes garantindo que nos governo do PT nunca ia ser posto em votação.

A opressão das mulheres é funcional a manter essa sociedade de exploração e fazer com que não sejamos donos nem mesmo de nossos corpos.

Nessas eleições manipuladas pelo judiciário sejamos uma voz anticapitalista.




Tópicos relacionados

Aborto   /    Eleições 2018   /    Bolsonaro   /    Diana Assunção #UmaVozAnticapitalista   /    Golpe institucional   /    Machismo   /    Candidatos MRT   /    Política

Comentários

Comentar