Política

ELEIÇÕES 2018

Bolsonaro aliado ao PR terá mais tempo de TV e uma coligação de corruptos

Bolsonaro, propõe aliança com o PR de Valdemar Costa Neto, condenado em escândalos de corrupção, para compor chapa presidenciável tendo o senador Magno Malta, da lei do Escola sem partido e da redução de maioridade penal, como vice da chapa mais indesejável para os trabalhadores do país.

quarta-feira 27 de junho| Edição do dia

“Tenho conversado com o Magno não é de hoje. Acho um excelente parlamentar. E logicamente, se prosperar nossa ideia de disputar a convenção agora para presidente da República, o Magno Malta, se quiser somar conosco, da minha parte está fechado”, disse Bolsonaro.

Jair Bolsonaro, pré-candidato do PSL à presidência da República, já demonstra o seu verdadeiro projeto eleitoreiro pautado em posições reacionárias de poder, almejando o Executivo através das velhas negociatas com partidos aluguéis de corruptos carreiristas, tal como si mesmo.

Como forma de turbinar sua campanha nessa semana ele anunciou a aliança com o PR, aquele mesmo, que tem como principal figura, Valdemar Costa Neto, que foi condenado no esquema de corrupção conhecido como mensalão. As insanidades proferidas por Bolsonaro, acompanhadas de uma moral machista, homofóbica e racista, já provavam que não tinha nada para oferecer aos trabalhadores a não ser repressão e ódio.

Agora ele propõe aliança para compor a chapa presidenciável, com o senador Magno Malta do Espírito Santo de vice, outro parlamentar completamente atolado em escândalos de corrupção. Bolsonaro não é limpo como pregam por aí. No começo desse ano foi revelado que ele e seus filhos, seguidores da carreira do pai, recebiam gordos privilégios em auxílio aluguel enquanto expandiam suas posses de imóveis através da política.

Saiba mais: Bolsonaro e família ficaram milionários graças à politica, ele que ia combater a sujeira?

Em 2014, Malta recebeu repasse fraudulento de dinheiro, encoberto pela empresa Itatiaia e além disso passeou de jatinho fornecido por empresários, e aqui nem vamos entrar no mérito dos escândalos de corrupção do seu mentor Valdemar C. Neto, líder de seu partido. Malta brada aos ventos em seus discursos, a preocupação com o combate à corrupção, mas o próprio Judiciário já o condenou em algumas ocasiões.

Sua lista de “proezas” continua, o ilustre parlamentar esteve envolvido com a máfia das ambulâncias do RJ, e seu partido, o PR, esteve no centro do escândalo do Ministério dos Transportes por favorecimento de empreiteiras nos contratos de licitação, no qual o irmão foi indicado por ele para chefia de assessoria parlamentar, Maurício Pereira Malta. Magno por sua vez recebeu gordas contribuições de empreiteiras para sua campanha. Membro da bancada evangélica e pastor, enganar os fiéis para roubar o dízimo e financiar suas campanhas na cruzada da corrupção e ataques contra os trabalhadores é sua prática comum, usando o palanque para defender a família tradicional (a sua própria, no caso) e enriquecer os empresários nas quais se encontra envolvido até os ossos.

Com essa aliança Bolsonaro expande seus privilégios na campanha, como o tão almejado aumento do tempo de pronunciamento na propaganda eleitoral gratuita, uma ferramenta que diante de tantas informações falsas que Bolsonaro se apropria de movimentos como MBL, tentará confundir os trabalhadores. Sua campanha não passa de uma proposta ultra-reacionária a serviço dos patrões da soja, dos transportes, e que se esforça cotidianamente em conseguir a confiança da burguesia imperialista, prometendo-lhe a Reforma da Previdência e privatizações de estatais.

Malta é o autor o projeto “Escola sem partido”, uma verdadeira mordaça aos professores e uma afronta ao desenvolvimento dos jovens do nosso país. Políticos como Malta querem intensificar o papel do Estado de fortalecer as ideias conservadoras da burguesia, como a proibição de debates críticos, de gênero e sexualidade nas escolas. O movimento fundador do escola sem partido é o que hoje se liga ao MBL para perseguir professores nas escolas e universidades de todo o país.

Além disso, Malta é um dos principais membros da bancada da bala, entusiasta de intensificar o encarceramento em massa da juventude negra com a redução da maioridade penal e o proibicionismo, no que se refere ao trato das substâncias psicoativas ilegais, uma vez que nunca se refere às megaempresas do ramo de bebidas alcoólicas e tabagista.

Chegou a usar um falso argumento, não comprovado cientificamente, em seu texto para justificar da PEC nº29/2015, que proíbe o aborto em qualquer circunstância, mesmo nas permitidas pela Constituição, que hoje são: gravidez decorrente de estupro, risco de vida à mãe e anencefalia do feto.

A classe trabalhadora deve estar preparada para não sucumbir aos discursos de falsos profetas e salvadores da nação, eles nunca existirão! Esses mesmos parlamentares que historicamente seguem saqueando os cofres públicos e retirando direito dos trabalhadores, em época pré-eleitoral nem sequer falam sobre a dívida pública, que é ilegal e fraudulenta, e constitui a principal ferramenta de expropriação das riquezas do nosso país, peça chave na campanha que nós do MRT e do Esquerda Diário impulsionamos em todo o país, pelo não pagamento da dívida pública. Somente com independência de classe poderemos discutir um projeto anti-imperialista que realmente possa superar o capitalismo. Saiba mais acessando esse link.




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    Bolsonaro   /    Reforma da Previdência   /    Escola sem partido   /    Maioridade Penal   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar