GADO BOLSONARISTA

Bolsonarista que agrediu enfermeiras trabalha para o Ministério de Direitos Humanos

Na gravação, o bolsonarista e defensor da “moral e dos bons costumes” desferiu xingamentos, empurrões e chegou a cuspir no rosto de uma estudante de medicina que tentava proteger suas colegas.

terça-feira 5 de maio| Edição do dia

Renan da Silva Sena, reacionário apoiador de Bolsonaro que agrediu enfermeiras que faziam manifestação em homenagem aos 55 colegas de profissão mortos pela epidemia de Covid-19 e por melhores condições de trabalho, trabalha para Damares Alves no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

O engenheiro eletricista, que também é missionário da Igreja Batista Vale do Amanhecer, presta serviço à Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. Na última sexta (01) vestido de verde amarelo como costuma ser o traje dos golpistas autoritários bolsonaristas, um vídeo seu agredindo enfermeiras viralizou.

Na gravação, o bolsonarista e defensor da “moral e dos bons costumes” desferiu xingamentos, empurrões e chegou a cuspir no rosto de uma estudante de medicina que tentava proteger suas colegas. De acordo com a reportagem, Renan é um máximo fiel e compõe o rebanho de gados de Bolsonaro, frequentador de carteirinha dos atos golpistas do bolsonarismo que suplicam por um golpe dos militares, além de defender posições conspiratórias, xenofóbicas e mentirosas de que o vírus fosse um “plano chinês” de dominação mundial.

No ato realizado no 1º de maio pelas enfermeiras que lutam por condições de trabalho para salvar vidas, ocorreram outras agressões de bolsonaristas que odeiam mais que tudo a classe trabalhadora. A dupla de Renan era uma empresária bolsonarista chegou ao cúmulo de falar baixinho para uma enfermeira que sente “o seu cheiro de quem não tomou banho direito, de quem não passa perfume”, escancara uma das caras mais podres e nojentas da elite brasileira.

Veja o vídeo: Empresária Bolsonarista diz que enfermeira fede “porque não passa perfume”

A elite brasileira não se importa com os trabalhadores da saúde. Essa é a verdade. Tampouco com a população pobre que vem sendo a mais afetada pela COVID. Como escancara a reação escandalosa dos bolsonaristas contra os profissionais da saúde em Brasília, a elite brasileira, seus empresários e pequeno-empresários aliados, estão se importando apenas com seus lucros. Em tempos de crise, vem a olho nu a barbaridade desses setores da sociedade, cujas palavras estão manchadas de sangue. Em outro momento do vídeo, a mesma bolsonarista diz que se não fossem pelos empresários, eles não receberiam os seus “salariozinhos”. A dupla verde-amarelo parece ter saído direto da casa grande no século XIX para a esplanada, vomitar barbaridades escravocratas para trabalhadores em protesto. Tudo isso no dia 1º de maio.

A eles, Bolsonaro, Mourão, os militares e toda a corja de empresários que estão despejando a crise nas costas dos trabalhadores, devemos dar um basta. Apenas os trabalhadores organizados, seguindo o exemplo desses trabalhadores da saúde que corajosamente organizaram um ato em Brasília nesse 1º de maio, com as devidas medidas de segurança sanitária, podem apontar um caminho para combater o coronavírus e impedir com que a maioria da população pague pela crise. Os capitalistas a criaram, eles que paguem por ela.

Aqui do Brasil, diremos com força: Fora Bolsonaro, Mourão e os militares, sem nenhuma confiança nos governadores, no congresso e no STF! Se conecta com a gente aqui no Brasil, com o MRT e o Esquerda Diário!

LEIA MAIS: DF: Trabalhadores da saúde protestam por condições de trabalho e são atacadas por bolsonaristas




Tópicos relacionados

obscurantismo   /    bolsonarismo   /    Fora Bolsonaro, Mourão e os militares   /    Damares Alves   /    Governo Bolsonaro   /    Jair Bolsonaro   /    Direitos Humanos   /    Brasília

Comentários

Comentar