Economia

DESIGUALDADE

Bilionários brasileiros ficam R$269,5 bilhões mais ricos em meio à pandemia

Enquanto mais de 65 milhões de brasileiros se espremem na fila para receber o auxílio emergencial já cortado pela metade, sofrem com a covid-19 e falta de EPIs, são vítimas também do desemprego crescente, corte de salários e flexibilização dos contratos pelas medidas provisórias do governo, alguns poucos brasileiros bilionários aumentam em R$269,5 bilhões seu patrimônio.

quinta-feira 8 de outubro| Edição do dia

Em relatório anual divulgado nesta quarta-feira, 07, feito pelo banco suíço UBS e pela consultoria PwC, no Brasil os bilionários ficaram 38% mais ricos em relação ao ano passado, isto é, R$269,5 bilhões mais ricos, mesmo em meio à pandemia.

Enquanto o planeta atravessa uma crise sanitária e econômica bastante profunda, que já deixou mais de um milhão de mortos pela covid-19, deixou milhões desempregados, sem renda, em trabalhos precários, informais, com contratos flexibilizados e cortes de direitos, pouco mais de 2 mil pessoas ao redor do globo acusaram ter patrimônio de ao menos R$5,5 bilhões.

No Brasil mais de 65 milhões de brasileiros recorreram ao auxílio emergencial de R$600,00 e que desde setembro já foi cortado pela metade. São milhões de trabalhadores que foram demitidos pelas medidas provisórias propostas por Bolsonaro e aprovadas no Congresso, são milhões que tiveram salários reduzidos, jornadas e contratos de trabalho modificados e que sofrem com o preço do arroz e demais alimentos básicos que têm aumento exponencial de preço.

Neste mesmo ano, neste mesmo país, em meio à mesma pandemia e crise, vemos justamente uma minoria lucrando como nunca, aumentando em bilhões seu patrimônio. Os números impressionam não só pela disparidade e desigualdade de uma maioria esmagadora pobre e uma ínfima minoria bilionária, mas também porque mesmo em um ano de profunda crise, estes bilionários acumularam e ganharam mais dinheiro do que nos anos anteriores. Enquanto em 2019 os bilionários brasileiros tinham, reunidos, R$699 bilhões, neste último relatório consta que possuem R$968,5 bilhões.

Estes poucos bilionários aumentam sua renda em base a ações na Bolsa, em base ao suor e trabalho da maioria da população que recebe salários de miséria, descarregando essa crise que o planeta atravessa nas costas dos trabalhadores. Assim funciona o sistema capitalista, com uma desigualdade em que uma minoria detém grande parte das riquezas e uma maioria é explorada. O capitalismo não consegue se sustentar sem expropriar de muitos para dar para poucos. É justamente por isso que defendemos a organização e unidade de todos os trabalhadores, dessa maioria massiva em todo o planeta, para erradicar pela raiz a desigualdade, a exploração e opressão.




Tópicos relacionados

Auxílio emergencial   /    pandemia   /    Que os capitalistas paguem pela crise!   /    Capitalismo   /    Economia

Comentários

Comentar