Gênero e sexualidade

MÍDIA MACHISTA

Bela, recatada e aplaudida pela mídia por usar vestido que custa o sustento de um lar

Após desfile do Sete de Setembro, parte da mídia dedicou suas linhas para comentar o vestido de Marcela Temer, segundo a mesma mídia, a bela, recatada e do lar, não poupou despesas para sua primeira aparição pública, e as mídias não pouparam frases machistas relacionando o vestido “simples e discreto” com os objetivos de “ordem” do governo Temer.

Diana Assunção

São Paulo | @dianaassuncaoED

quinta-feira 8 de setembro| Edição do dia

No valor de 618 reais, o vestido branco da “do lar”, é do mesmo valor que milhares de mulheres tem para sustentar um lar, próximo ao valor de um salário mínimo e igual a salários de operadores de telemarketing e mulheres terceirizadas. A esposa do golpista, assim esbanja seus privilégios e pretende ser a personificação da moral desse governo: ordem e opressão, a mulher como um objeto bonito e casto.

A mídia golpista e machista também, que coloca na capa de seus sites notícias sobre o vestido da primeira-dama alimenta essa ideia de “bela, recatada e do lar”, de que mulher de verdade, "honrada", é essa que é só adorno, que sorri do lado de um homem, no caso o presidente golpista. O jornal Folha de São Paulo chegou a falar “Mesmo que tente tirar atenção para si, Marcela não conseguirá. Diferente das últimas mulheres que ganharam o noticiário político”, ou seja, a mulher tem que chamar atenção pelo padrão de beleza, e não pelas idéias.

Obviamente comentários como esses não ocorrem no caso de homens, isso porque a mídia instiga a opressão, seja com propagandas onde a mulher é um objeto, seja propagando a ditadura da beleza, ou no caso de Marcela que é exibida e vista como um objeto "de luxo" do presidente. Mas também quando a mídia relativiza casos de violência e estupros, sempre colocando a palavra "suposto" na frente.

Não bastasse a pachorra do valor do vestido, quase uma provocação aos milhares de trabalhadores e trabalhadoras que dão o sangue, o suor e a vida para ganhar no mês, esse valor que a golpista gastou em um vestido. Novamente o Jornal Folha de São Paulo diz “a roupa de Marcela, mesmo que custe quase um salário mínimo, parece saída do armário de uma brasileira média”, é difícil saber que “brasileira média” o jornal se refere com os altos índices de desemprego e baixos salários.

O governo Temer ainda tem como uma das principais propostas estender a terceirização e realizar uma reforma trabalhista. Ou seja, não basta a extensão da precarização e terceirização dos anos de governo Dilma, é preciso precarizar mais, enquanto essa camada de políticos corruptos e degradantes esbanjam seus luxos e privilégios.

Esse é o padrão de beleza da Veja. Um gasto exorbitante que nós trabalhadores não temos. Porque nosso dinheiro vai para o aluguel, para comida de nossos filhos. Um vestido para foto. Para consumo alheio. Bonita é mulher que luta. Que luta diariamente para se sustentar. Sustentar sua família. Que luta contra o machismo e contra o capitalismo




Tópicos relacionados

Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar