Política

JULGAMENTO LULA

Basta de trégua! Que a CUT e CTB convoquem imediatamente atos massivos contra a prisão de Lula

Flavia Valle

Professora, Minas Gerais

quinta-feira 5 de abril| Edição do dia

A votação do STF negou o habeas corpus de Lula possibilitando que ele seja preso. Esse fato reafirma a política golpista do judiciário aplaudido pela Globo e pelo exército, que durante o dia expressou posições repudiáveis. Frente a isso o PT chamou apenas vigílias inofensivas. Lula já havia dito perdoar os golpistas, e recentemente disse “continuar acreditando na justiça”, enquanto impedem a mobilização dos trabalhadores vemos a cena lastimável de militantes do PT implorarem para que algum ministro peça vistas e paralise a votação.

O judiciário golpista pode votar tranquilo, com falas de horas e incompreensíveis, enquanto o petismo não organizou ao menos um ato de rua para expressar repúdio a medida autoritária e contraria aos direitos de toda a população.

Essa política de conciliação petista foi o que fortaleceu a direita quando eram governo e que fez de tudo para impedir que os processos de luta que houveram no pós-golpe se desenvolvessem. As centrais sindicais petistas e aliadas, CUT e CTB, foram fator central de barrar as lutas ao não organizarem os trabalhadores e diretamente traindo as greves como em 2017 ao desmarcar a greve geral de 30 de junho, permitindo a aprovação da reforma trabalhista sem luta. Essa política é o que permitiu o avanço da direita arrancando os direitos trabalhistas e avançando em medidas autoritárias e arbitrárias no regime político.

VEJA MAIS - Por que o PT não convocou atos massivos contra a prisão arbitrária de Lula?

O PT teme muito mais a radicalização das massas que o autoritarismo estatal, mesmo indo contra seu principal líder. Isso porque o papel do PT no regime é conservar a institucionalidade e essa democracia degradada. Gleisi Hoffmann falou em manifestação em São Paulo quando Lula foi condenado pelo TRF-4, implorando ao judiciário que preservasse as instituições e parassem com a política golpista. Uma atitude inofensiva e beirando ao ridículo de achar que é possível barrar a continuidade do golpe com súplicas e “perdoando os golpistas”.

Mesmo após a caravana do Lula sofrer um atentado o petismo manteve a política de fomentar esperanças nas “instituições burguesas”, não preparou nenhum combate até o dia de hoje, e nessa quarta decisiva chamou vigílias esvaziadas e desmoralizadas. Os discursos inflamados de palanque não seguem de qualquer medida concreta de luta, a CUT e CTB precisam romper a trégua aos golpistas e chamar um plano de luta, com atos massivos, assembleias de bases, paralizações de locais de trabalho e estudo.

Essa exigência as centrais precisam ganhar força em cada fabrica, escola, universidade, locais de trabalho, os professores de São Paulo mostraram que é possível derrotar os governos golpistas a partir da greve, atos e mobilizações. Surgiram atos importantíssimos de repúdio ao assassinato de Marielle, e os professores de Minas Gerais seguem em greve, essa força mostra que é possível organizar a luta.

É urgente que a CUT e CTB rompam a trégua e convoquem imediatamente verdadeiros atos de rua contra a prisão de Lula, sabendo que essa passividade só fortalece as instituições mais reacionárias do regime, o judiciário e os militares, e que já se voltam contra os trabalhadores. Esse plano de luta deve defender envolve a luta para que população tenha o direito de votar em quem quiser, pela justiça por Marielle, pela anulação dos ataques do governo Temer.

VEJA MAIS - Discursos não bastam: por um plano de lutas já contra os golpistas e seus ataques




Tópicos relacionados

Julgamento de Lula   /    STF   /    Lula   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar