Educação

PUC-RIO

Bandejão da PUC-Rio aumenta de novo para o absurdo preço de R$ 10,00

Novamente a PUC-RIO aumenta o preço já abusivo do Restaurante Universitário.

quinta-feira 17 de janeiro| Edição do dia

Imagem: Reprodução/YouTube

Os restaurantes universitários em geral devem cumprir um papel de auxílio na vida do estudante e dos funcionários da universidade, no sentido de fornecer um serviço que seja gratuito (ou de preço bastante reduzido), não apenas para aumentar a permanência estudantil, mas também para fornecer o mínimo de qualidade na vida da comunidade universitária. Infelizmente esse não é o caso da PUC-Rio que aumentou novamente o preço do bandejão para a absurda taxa de R$ 10,00, se tornando um dos mais caros do país.

Essa medida adotada pela universidade em conjunto com a Sodexo, empresa multinacional terceirizada responsável pelos serviços de limpeza do campus e do restaurante universitário, é um ataque profundo aos três setores da universidade, em particular os estudantes. Em meio a uma crise econômica e social que assola principalmente a juventude e os trabalhadores cariocas o aumento do bandejão afeta diretamente os alunos e alunas bolsistas que já sofrem com a falta de emprego, a precarização dos transportes públicos, etc.

Os estudantes, professores e funcionários devem exigir a redução imediata do preço do bandejão e questionar mais abertamente o contrato entre a universidade e a empresa Sodexo para que todos os estudantes possam ter acesso ao livro de contas da universidade, sobretudo, em relação aos serviços prestados por essa empresa.

Essa mesma empresa reforça o caráter elitista e racista da PUC-Rio. Causa raiva e indignação passarmos diariamente pelos corredores e notarmos que há um batalhão de mulheres pretas, uniformizadas de azul e com a logo marca da Sodexo estampada na altura do peito, limpando os banheiros e as salas da universidade com salários mais baixos que homens brancos, direitos reduzidos com a terceirização irrestrita e sem a possibilidade de organização sindical. Causa mais raiva ainda sabermos que esta mesma empresa, que além explorar diariamente a mão de obra de trabalhadoras negras, aumentou o preço do bandejão, dificultando ainda mais a permanência estudantil, principalmente de estudantes bolsistas.

O movimento estudantil e o conjunto dos estudantes da PUC-Rio precisam ser vanguarda no combate a essa taxa absurda, exigindo a redução imediata do preço do restaurante universitário, a abertura do livro de contas e a efetivação imediata dos trabalhadores terceirizados com todos os direitos garantidos.




Tópicos relacionados

PUC-RIO   /    Educação   /    Rio de Janeiro   /    Juventude

Comentários

Comentar