Gênero e sexualidade

LGBTFOBIA

Bancada Evangélica acaba com a parada LGBT no DF

Bancada Evangélica derruba decreto que tinha como objetivo preservar a memória cultural LGBT no DF. Através de um grupo de trabalho, o decreto derrubado buscava promover pesquisas sobre a cultura LGBT, e estudar movimentos dessa natureza espalhados pelo Distrito Federal.

quarta-feira 18 de outubro| Edição do dia

A bancada evangélica decidiu atacar novamente e dessa vez derrubou um decreto que destinava recursos de um novo programa exclusivamente para ações voltadas a manifestações culturais LGBT. Essa ação, na prática, vai diretamente inviabilizar que novas paradas LGBTs aconteçam no DF.

O deputado Rodrigo Delmasso (Podemos) afirmou que o projeto feria “diretamente o direito das famílias brasilienses”, bem como à cultura que “valoriza os princípios e valores da família”. Além de “pouco democrático e igualitário”, pois, segundo os parlamentares, “usava recursos que deveriam promover ações para toda a população para privilegiar a militância LGBT.”

O site do governo de Brasília afirma que o documento autoriza a montar um comitê técnico para dar início a estudos de preservação da memória cultural LGBT, diferente do que quer fazer parecer os deputados da bancada evangélica com um discurso de falsa inclusão, quando vemos que, na verdade, cada vez mais os direitos das pessoas LGBTs estão sendo atacados.

Temos observado uma série de ataques da direita conservadora, entre eles da bancada evangélica e do MBL, como o projeto de lei da “Cura Gay”, as censuras ao QueerMuseu e às obras de arte. O Brasil é o país que mais mata transexuais e travestis no mundo e que bateu o recorde de assassinatos de LGBTs esse ano, mostrando a necessidade de se mobilizar contra os ataques conservadores da direita.




Tópicos relacionados

Bancada da Bíblia   /    cultura   /    LGBT   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar