Educação

PESQUISA ÀS TRAÇAS

Atrasos e não pagamento nos auxílios faz alunos passarem aperto em MG

A morte de Stephen Hawking, um dos maiores cientistas conhecidos, trouxe à tona os debates e denúncias sobre a situação da pesquisa científica no Brasil: exigem dedicação exclusiva dos estudantes, porém os auxílios não são pagos. Alunos bolsistas de Minas Gerais relatam até mesmo ter passado fome pelo não pagamento das bolsas.

terça-feira 20 de março| Edição do dia

A pesquisa científica no Brasil passa por grandes dificuldades, e por consequência os estudantes de pós-graduação nas universidades. Desde o ano passado, Temer cortou em 44% o orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, afetando substancialmente a qualidade da pesquisa no Brasil.

As diferentes agências de fomento à pesquisa, como CNPq, Capes, FAPEMIG e FAPESP, tem atrasado constantemente o pagamento das bolsas de auxílio à pesquisa, além das universidades públicas em geral sofrerem fortíssimos cortes e ataques, sucateando os laboratórios de pesquisa e locais de trabalho.

Em Minas Gerais, alunos de pós-graduação estão sofrendo com a falta de pagamento das bolsas fornecidas pela Fapemig, agência de fomento do Estado de Minas Gerais. Relatos públicados na BBC mostram a trágica situação da pesquisa e dos pós-graduando: pesquisas são abandonadas por falta de materiais, por falta de condições financeiras de se manter na universidade. Alguns relatam até ter passado fome por conta do não pagamento da bolsa.

Muitos alunos dependem da bolsa para sobrevivência, sendo que indiretamente, apesar dos auxílios não serem reconhecidos legalmente como "salários", cumprem esse papel de maneira geral.

É importante frisar que as bolsas de mestrado e doutorado, bem como diversas outras bolsas fornecidas pelas diferentes agências de fomento exigem dedicação exclusiva, ou seja, o bolsista não pode ter nenhum tipo de vínculo empregatício ou renda obtida por trabalho. Sem o pagamento das bolsas e impedidos de trabalhar, pois é preciso assinar um termo garantindo dedicação exclusiva no momento da aprovação das bolsas, os estudantes se vêm completamente perdidos e desmotivados de prosseguir a pesquisa.

O CNPq também vem atrasando seus pagamentos e muitas vezes deixando de pagar muitos bolsistas. Este mês diversas modalidades entre Iniciação Científica até Extensões no País estão com seus pagamentos atrasados. Os atrasos também são recorrentes: desde mês passado as bolsas estão atrasando consideravelmente comparada à data limite que ela deve cair, que é no 5º dia útil.

A morte de Stephen Hawking trouxe comoção generalizada nas mídias e redes sociais, gerando até mesmo uma postagem de Michel Temer sobre a morte do cientista. Entretanto, a morte de Hawking, um dos maiores físicos e cientistas conhecidos, reascendeu o debate da pesquisa no Brasil sobre baixo incentivo, bolsas de valores muito inferiores, atrasos nos pagamentos e pouca infra-estrutura.




Tópicos relacionados

Fapemig   /    CNPq   /    Minas Gerais   /    Universidade   /    Educação

Comentários

Comentar